29.7 C
Espigão d\'Oeste,RO
terça-feira, abril 25, 2017

Arquivos diários: 10 de março de 2017

Empresas investiram mais em treinamentos em 2016, diz estudo

Fonte: Google imagens

Demissões, corte de custos, cancelamento de projetos, enxugamento de operações. É este o cenário em boa parte das empresas brasileiras frente à aguda crise econômica enfrentada pelo país. Mas como elas estão enxergando quem fica e precisa trabalhar, muitas vezes, em dobro? Estudo realizado pela ABTD (Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento), com coordenação e análise da Integração Escola de Negócios, aponta que o investimento em treinamento e desenvolvimento (T&D) cresceu de 2015 para 2016.

No ano de 2016, o volume de horas de treinamento por colaborador no Brasil foi 33% superior ao registrado no ano anterior, passando de 16,6 horas para 22 horas, em média. O valor investido por funcionário é de R$ 624 por funcionário – crescimento de 24% em relação ao ano passado. “As empresas estão focadas em otimizar suas operações, e com isso cortando eventuais excedentes e investindo na capacidade e desempenho de suas equipes”, diz o estudo intitulado “Panorama do Treinamento no Brasil 2016”.

O estudo aponta que as empresas estão preocupadas em qualificar suas equipes com objetivo de ter um time mais competitivo para quando a situação externa melhorar.  Ainda assim, a média brasileira de investimentos no desenvolvimento dos profissionais se mantém abaixo da média norte-americana, que é de U$ 1.229 por colaborador.

Foram ouvidas 502 empresas, nacionais e multinacionais, de cinco setores (administração pública direta, comércio, indústria, organização sem fins lucrativos e serviços). O número médio de colaboradores entre elas é de 2707 funcionários.

Segundo o estudo, as empresas multinacionais realizaram neste ano carga de treinamento 38% superior às nacionais. Na análise por setor, as indústrias e as administrações públicas investem, respectivamente 25% e 80% menos por colaborador que a média nacional.

Treinamento para quem e para quê?

Cerca de 40% das ações de treinamentos realizadas são direcionadas para os líderes: 14% alta liderança, 26% gerência e supervisão. Considerando os outros 60%, grupo que agrega cargos de não líderes, o treinamento técnico é prioridade.

No geral, “melhoria no clima organizacional” é o indicador de T&D mais utilizado para as ações. “As empresas estão preocupadas em qualificar suas equipes em momentos desafiadores do mercado e ter um time mais competitivo para quando o cenário externo melhorar”, diz Fernando Cardoso, sócio-diretor da Integração Escola de Negócios por meio de nota.

Segundo o estudo, 47% do orçamento para treinamento das empresas é investido em terceiros e 15% das ações são realizadas à distância (e-learning). Um dado interessante é o indicador que mede o absenteísmo nos programas formais. O estudo aponta que ele tem caído, ou seja as pessoas têm comparecido mais aos treinamentos propostos. Em 2016, o índice de absenteísmo foi de 12%, apresentando uma melhora de nove pontos percentuais em relação ao ano anterior.

Fonte: Época Negócios

Continua depois da publicidade

Polícia Militar de Espigão do Oeste recupera objetos furtados e prende foragidos

A Polícia Militar foi acionada a comparecer em uma Joalheria de Espigão D’Oeste, onde o acusado EDER DOS SANTOS FERREIRA chegou para avaliar uma joia no formato de uma chave na cor dourada, objeto que o solicitante sabia ser produto de furto, conforme Ocorrência Policial Nº. 35026/2017.

EDER foi conduzido ao HPS para avaliação medica e apresentado na UNISP pelo delito de Receptação.

Em consulta ao Banco Nacional de Mandados de Prisão, foi localizado um mandado de prisão expedido pela 1ª Vara criminal de Rolim de Moura (Nº. 1074-17.2016.8.220010.0002) em desfavor do acusado EDER. Indagado, este relatou que o autor do furto seria FABIO JUNIOR RODRIGUES JESUS, indicando o endereço onde foram encontrados os seguintes objetos furtados: 01 (uma) botija de gás, 01 (uma) caixa amplificadora de som, 01 (um) notebook marca Phillco.

O acusado FABIO JUNIOR assumiu ser o autor do furto e ainda disse que pediu a EDER que vendesse os objetos para poderem juntos consumirem entorpecentes.

FABIO JUNIOR foi conduzido ao HPS, tão logo sendo apresentado na UNISP em Espigão D’oeste onde foi formalizada a prisão em flagrante delito.

Também foi constatado que havia 02 (dois) mandados de prisão (Nº. 6336-79.2015.8.22.0010.0001 e Nº. 1071-31.2013.8.22.002.0003) em desfavor de FABIO JUNIOR.

Os dois presos foram entregues ao Sistema Penitenciário e encontram-se a disposição da Justiça.

“Polícia Militar: Instrumento de Paz.”

Continua depois da publicidade

Baruk, novo ponto de Moto Táxi em Espigão do Oeste

Ao lado dos Correios, desde do dia 01 de março, começou a funcionar em Espigão do Oeste, o ponto de Moto Táxi Baruk.

Valmir, Salgadinho, Juarez, Lucimar, Nelson e Jucimar são os moto táxis que estão trabalhando no ponto que abre as 06h e geralmente fica em funcionamento até as 20h.

Ao Portal Espigão, Lucimar informou que os valores praticados são os mesmos.

Telefones para contato:

Fixo: 3481-1329
Valmir: 98408-4055 / 99932-3985
Salgadinho: 98471-8690 / 99968-9192
Lucimar: 99988-7630 / 99248-5511 / 98452-1352 / 98116-0045
Juarez: 98432-7960
Nelson: 98412-2410 / 99912-1916 / 98103-2692 / 99201-0919
Jucimar: 98421-5379 / 99960-9893

Continua depois da publicidade

Audiência pública debate as propostas de reforma da Previdência

O deputado Lazinho da Fetagro (PT) realizou na manhã desta quinta-feira (9), no Plenário da Assembleia Legislativa, audiência pública para discutir sobre mudanças propostas de Reforma da Previdência e os impactos na vida dos trabalhadores beneficiários do Instituo Nacional de Seguridade Social (INSS).

O parlamentar afirmou que os trabalhadores pensam, tem opinião e querem um país melhor para todos. Ao término, afirmou Lazinho, “vamos sair com um documento e encaminhá-lo a quem de direito possa atender ao nosso pedido”.

Lazinho apresentou vídeo no qual afirma que há mentiras nos argumentos do governo federal de que há rombos nas contas, com desvios de receita da previdência.

Disse que o ato (audiência pública) é o instrumento democrático que o trabalhador tem para se manifestar e para demonstrar a classe política qual a posição dos trabalhadores. Segundo ele o governo federal precisa respeitar a Constituição quanto ao custeio da previdência e também cobrar os grandes devedores.

Lazinho salientou que um dos gargalos das dívidas é que não se pode deixar uma empresa fechar devendo à Previdência. Citou os casos da Varig e Vasp. “Mas também cobrar de quem deve como a Caixa Federal, Banco do Brasil, Prefeitura de São Paulo, Friboi, Eucatur e Caerd”.

Estas ações são contra o povo, afirmou o parlamentar, e o estão usando para se perpetuar no poder. “Se é que tem que morrer, vamos morrer lutando. Parados jamais”, concluiu Lazinho.

O presidente da Assembleia Legislativa, Maurão de Carvalho (PMDB) destacou a importância da audiência para discutir este problema sério, que tanto preocupa a sociedade e que o ponto principal é o governo cobrar dívidas dos grandes devedores da previdência. “O prejuízo não pode ficar para aquele que trabalha tantos anos e depois ainda tem de ficar mais tempo para buscar sua aposentadoria”.

O presidente defendeu o debate em todas as Assembleias Legislativas, Câmaras de Vereadores e com a sociedade, pois o projeto causa preocupação. E como deputado, salientou Maurão, irá buscar o diálogo também com os deputados e senadores de Rondônia para encontrar solução e que é “preciso fechar os ralos do dinheiro público”.

Para o presidente, a saída é não tirar o direito do trabalhador. Por isso, “podem contar com o apoio desta casa, dos 24 deputados para lutar e defender esta causa”, finalizou Maurão.

Debatedores

O secretário de políticas sociais da Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetagro), Ecimar Viana, explicou as ações de mudança na Lei da Previdência, que afetam os trabalhadores, sendo o primeiro a idade mínima, causando prejuízos ao beneficiário.

O dirigente também, explicou que esta situação “fere de morte a Constituição”. Outro diferencial é o tempo mínimo de contribuição, que muda de 15 para 25 anos. Para ele, os trabalhadores serão severamente prejudicados com as novas regras.

Representando a OAB/RO, Aline Silva Correa, como advogada trabalhista e previdenciária afirmou que as 15 propostas apresentadas pelo governo tenderão a prejudicar os trabalhadores, por isso estamos aqui para discuti-las. Colocou-se à disposição para o debate e contribuição posterior.

Representando a Via Campesina, João Marcos Dutra, a proposta é um desmonte da Previdência. Para ele este é um governo ilegítimo e visa atender somente a classe que ele representa, apresentando vários pacotes de maldade, prejudicando o trabalhador.

O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Célio Alberto Barros de Lima, disse que os trabalhadores vivem um momento de trevas, e criticou a proposta que visa a extinção da Justiça do Trabalho. “A reforma desestrutura toda a classe trabalhadora”. Para ele é uma obrigação divulgar ao jovem que a cada dia ficará mais difícil ele se aposentar pela previdência pública.

A representante da secretaria de Mulheres da CUT, Rosenilda Ferreira de Souza, salientou o trabalho diferenciado que as mulheres realizam, fazendo carga horária maior que a dos homens, cuidando também da casa e filhos. “E o desgoverno do presidente vem e desmonta todo o projeto conquistado com luta”. Convidou para a marcha do próximo dia 18, em protesto contra todas as mudanças.

O presidente dos auditores fiscais de Rondônia, Mauro Bianchin disse que desde que a Previdência foi criada, passou cerca de 30 anos só acumulando recursos e pergunta para onde foi parar esta montanha de dinheiro. Segundo ele, ajudou a financiar muita obra e o dinheiro não foi devolvido aos cofres públicos. “Este não é um programa de governo”, destacou, “mas de um governo golpista e ilegítimo”.

A representante da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), Alessandra Lunas, disse que a dívida tem de ser imputada aos bancos, não mais aos trabalhadores. Se disse feliz com as manifestações demonstrada nas redes sociais, na mobilização contra a reforma na previdência.

O presidente da Fetrago, Fábio Menezes, afirmou que muitos trabalhadores não conseguirão se aposentar, outros somente após os 65 anos. “O governo mente para a população ao afirmar que a previdência está falida”. Para ele é preciso mobilização para resgatar o que é nosso.

Fábio reclamou da não participação dos deputados federais a audiência, para ouvir as reivindicações dos trabalhadores de Rondônia. Finalizou pedindo ao deputado Lazinho uma Moção de Repúdio aprovada pela Assembleia e encaminhada aos deputados federais e senadores de Rondônia. “Com o povo na rua não haverá reforma na Previdência”.

Representantes dos trabalhadores de Rondônia também fizeram uso da palavra Sebastião “Sabá”, que defendeu o trabalho das mulheres e a sua valorização. Germano Soares disse que acompanha de perto e que o senador Paulo Paim disse que faltam duas assinaturas para abrir a CPI da Previdência. O presidente do Conselho Estadual da Saúde, Raimundo Nonato disse que não dá para discutir previdência com um governo golpista.

Ao final, o deputado Lazinho leu a carta que será encaminhada aos parlamentares e onde consta que será apresentado projeto de Moção de Repúdio à Reforma da Previdência.

Continua depois da publicidade

Governo de Rondônia vai eliminar uso de papel com a implantação do Sistema Eletrônico de Informações

Acordo de cooperação técnica entre o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RO) e o governo de Rondônia garantirá a implantação na administração pública do estado do Sistema Eletrônico de Informações (SEI). Com a implantação desse aplicativo todo gerenciamento de documentação e processos administrativos passa a ser 100% digital, extinguindo a utilização de papel, reduzindo custos e ainda agregando modernidade, transparência, segurança, sustentabilidade ambiental e celeridade nos trabalhos.

Durante reunião realizada na manhã desta quarta-feira (8), no auditório do Palácio Rio Madeira, o Sistema Eletrônico de Informações foi apresentado aos representantes de todas as secretarias e órgãos do governo do estado. A diretora-geral do TRE-RO, Elizabeth Afonso de Mesquita Parentes, explicou que o SEI é um programa desenvolvido pelo Tribunal Regional Federal da 4° Região, que disponibiliza para outras instituições governamentais sem custo e que o sistema é utilizado pela Justiça Eleitoral de Rondônia desde março de 2015.

Elizabeth Mesquita disse que as vantagens do sistema são muitas e citou maior celeridade na tramitação documental, economicidade de recursos e contribui significativamente com a sustentabilidade ambiental na prestação do serviço público, pois todos os processos administrativos serão gerados eletronicamente. A diretora também destacou a eficiência do sistema, pois o mesmo processo pode ser enviado ao mesmo tempo para vários órgãos, o que gera agilidade na tramitação documental. O programa também disponibiliza três tipos de gestão de processo, sigiloso, restrito e público.

O secretário-chefe da Casa Civil, Emerson Castro, disse que o Estado de Rondônia é pioneiro na implantação do sistema e afirmou que o SEI não é uma ferramenta isolada. “Quando o governador Confúcio Moura assumiu o estado há 6 anos encontrou os computadores com HDs apagados e muitas secretarias sem internet, e logo visualizou a necessidade de mudança”, disse. O primeiro passo foi a implantação da Infovia e agora o Sistema Eletrônico de Informações.

Os servidores serão treinados para aprender a trabalhar com o SEI. O cronograma de treinamento inicia nesta quinta-feira (9), no auditório do TRE, e será ministrado por profissionais da Justiça Eleitoral. A meta é implantar o SEI em todos os setores do governo do estado até o final deste ano.

Continua depois da publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade