Publicidade

A nova ponte na Linha 48 será construída sobre o rio Novo Mundo e beneficiará diretamente quatro Projetos de Assentamentos (PA) localizados nos limites dos municípios de Alvorada do Oeste, Castanheira e Nova Brasilândia. A ordem de serviço autorizando a empresa JJ Ramires a iniciar os trabalhos foi assinada nas margens do rio Novo Mundo, no local da construção, com a presença de dezenas de produtores da região. Na construção da ponte de madeira com 60 metros de extensão, o Governo de Rondônia investirá recursos próprios na ordem de R$ 300 mil.

O diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem, Infraestrutura e Serviços Públicos (DER), Ezequiel Neiva, manteve reunião com os moradores dos quatro assentamentos, e garantiu que a empresa está mobilizando funcionários, madeira e todo o material que será utilizado na construção da ponte. “A empresa nos garantiu que iniciará os trabalhos nos próximos dias”, destacou Ezequiel.

Continua depois da publicidade

O diretor operacional do DER, Marcelo Burgel, enfatizou que a Linha 48 está entre as rodovias que mais receberam benefícios do Governo. Disse que o DER assumiu a rodovia em 2011 e que a estrada estava em condições precárias. “Construímos uma ponte de madeira sobre o rio Bolonés e instalamos 16 bueiros armcos (tubos metálicos) eliminando pontes velhas de madeira”, pontuou Marcelo ao dar ênfase à visão de apoio aos municípios implantada pelo governador Confúcio Moura.

O deputado Laerte Gomes acompanhou a inspeção do diretor ao local da construção da ponte. O deputado disse que o projeto beneficiará diretamente os assentamentos Paulo Freire 1 e 2, Oziel e Bela Vista. “São mais de 500 famílias que corriam risco de isolamento”, observou Laerte.

Juliana Moreira de Souza é moradora do Assentamento Paulo Freire. Ao justificar a importância da ponte, Juliana disse que a região produz café e leite e que esses produtos precisam chegar ao comércio e que os ônibus escolares precisam chegar até os assentamentos.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.