Portal Espigão
Informação a Serviço da População

Cacoal e Pimenta Bueno possuem o gás mais caro de Rondônia

Em Espigão do Oeste, aumento foi de R$ 6,00. Veja valores de outras cidades.

Gás de cozinha sobe R$ 10 em apenas dois meses, em Rondônia

0

O preço do gás de cozinha continua subindo no estado de Rondônia. Nesta semana, a Petrobras anunciou um reajuste de quase 10%nas botijas e o consumidor já sentiu o reflexo do aumento. Em uma única cidade, por exemplo, o gás subiu R$ 10 em apenas dois meses.

Em outubro, um levantamento feito pelos repórteres do G1 mostrou que Cacoal (RO) tinha o gás mais caro, custando R$ 87 a botija de 13 kg.

Em um segundo levantamento, realizado nesta quarta-feira (6), a reportagem descobriu que a capital do café continua tendo o gás mais caro, porém agora divide o primeiro lugar com Pimenta Bueno (RO). Nas duas cidades a botija custa R$ 90.

Outras duas cidades estão com o gás custando quase R$ 90: Espigão D’Oeste e Cabixi. Nestes locais a botija de 13 kg é vendida a R$ 86.

O novo levantamento revelou que Guajará-Mirim foi onde o preço do gás teve maior aumento. Entre outubro e dezembro, a botija de 13 kg passou de R$ 75 para R$ 85.

A capital Porto Velho continua tendo o botijão mais barato do estado. Em média, segundo apurou o G1, o consumidor está pagando R$ 70 por cada unidade.

Veja abaixo quanto aumentou, em média, o gás nas cidades de Rondônia:

Preço médio do gás de cozinha

Cidade Outubro 2017 Dezembro 2017
Cacoal R$ 87 R$ 90
Pimenta Bueno R$ 85 R$ 90
Espigão D’Oeste R$ 80 R$ 86
Cabixi R$ 80 R$ 86
Vilhena R$ 80 R$ 84
Guajará-Mirim R$ 75 R$ 85
Candeias do Jamari R$ 63 R$ 70
Ji-Paraná R$ 70 R$ 80
Cerejeiras R$ 78 R$ 83
Porto Velho R$ 68 R$ 70

Em Ji-Paraná, o gás de cozinha aumentou consideravemente nesses dois últimos meses. Em outubro, a botija era comercializada, em média, por R$ 70. Agora, as revendedoras estão cobrando cerca de R$ 80, já com taxa de entrega.

A cozinheira Marilene Rodrigues reclama do valor cobrado e conta que consome três botijões de 13 kg durante o mês em seu restaurante, além do consumo domiciliar.

“Gasto quase R$ 300 por mês com gás, fora as contas de água e luz que também são caras. Esses valores altos dificultam e diminuem muito o lucro final das empresas”, afirma Marilene.

Em justificafiva ao novo aumento, a Petrobras disse que reajuste foi motivado principalmente devido à alta das cotações do produto nos mercados internacionais, segundo nota enviada pela estatal.

No ano, o preço médio do gás de cozinha no país acumula alta de 17,7%, segundo dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP).

Confira o preço da botija dos 13 quilos em outras cidades:

Colorado do Oeste – R$ 85
Rolim de Moura – R$ 80
Cerejeiras – R$ 83
Chupinguaia – R$ 80

Reportagem*: Jonatas Boni, Marco Bernardi, Aline Lopes, Hosana Morais e Júnior Freitas

Comentários

Source G1 RO
Via G1 RO

Leave A Reply

Your email address will not be published.