Publicidade

Cafeicultores de várias cidades da Zona da Mata de Rondônia paralisaram o fluxo de veículos da BR-364, na manhã desta terça-feira (21), em protesto contra a possível importação do café robusta conilon do Vietnã para o Brasil, anunciada pelo Governo Federal. A manifestação aconteceu entre os municípios de Cacoal (RO) e Presidente Médici (RO), no entroncamento com a rodovia que dá acesso a Rolim de Moura.

A manifestação teve início por volta das 10 horas e uma grande fila de veículos se formou nos dois sentidos da BR. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o trânsito foi liberado cerca de duas horas depois, mas os manifestantes continuaram no local.

Continua depois da publicidade

Segundo os organizadores, cerca de 200 cafeicultores de diferentes cidades protestaram com faixas, paus e blocos de concreto contra a proposta de importação do café, que deve ser debatida pela Câmara de Comércio Exterior (Camex), no Distrito Federal (DF), na reunião marcada para quarta-feira (22). Os agricultores esperam que a manifestação chegue até o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e que a proposta seja rejeitada.Conforme Leandro Dias Martins, que também exerce o cargo de secretário da Câmara Setorial do Café de Rondônia, a preocupação dos cafeicultores é que a medida traga prejuízos para o setor, com a redução dos preços pagos ao grão, inviabilizando a produção pelos pequenos produtores.

“Com esta manifestação, queremos mostrar nossa indignação com a proposta que está prestes a ser aprovada após pressão das empresas multinacionais que alegam prejuízos devido problemas climáticos, atingindo assim os cerca de 22 mil pequenos produtores de Rondônia, que serão prejudicados com a redução do preço pago ao grão. Por isso organizamos este movimento e esperamos que o governo federal não nos ignore”, revela.

O cafeicultor Giomar Monsteiro Souza diz que a medida já está afetando os produtores. “O preço pago pelo café conilon em Rondônia estava acima dos R$ 500 pela saca de 60 quilos, caiu para cerca de R$ 100, logo após anunciarem a proposta de importação, e a tendência é desvalorizar ainda mais”, conta.

Proposta de importação
Segundo o Mapa, a importação e redução do imposto de importação é necessária após a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) verificar estoques reduzidos de café conilon no Espírito Santo, Rondônia e Sul da Bahia, entre 1,5 milhão a 1,7 milhão de sacas, insuficientes para atender a necessidade da indústria de café solúvel.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.