fbpx
Informação a Serviço da População.
Real Turismo

Ipem estreia simulador de pista que atende em 15 minutos cada um dos 720 taxistas em Porto Velho

Os 720 taxistas de Porto Velho ganham rapidez e comodidade na verificação metrológica e inspeção obrigatórias do aparelho medidor eletrônico. Começou e operar no Instituto de Pesos e Medidas do Estado de Rondônia (Ipem) o primeiro simulador fixo de pista instalado no País. O serviço mudou de lugar: antes era feito próximo ao Espaço Alternativo.

A aferição só não abrange táxis do ponto dos distritos e do Aeroporto Jorge Teixeira, que não usam esse aparelho.

Paulo Izidoro, 55 anos, maranhense, pai de cinco filhos, um dos primeiros a chegar, foi recepcionado pelo diretor presidente do Ipem, Edvaldo Soares. “Está ótimo, é bem mais rápido do que lá perto do Hospital de Base”, comentou Izidoro referindo-se ao antigo posto de fiscalização.

Publicidade

Publicidade

Maranhense de Santa Inês, ex-mergulhador nos garimpos do rio Madeira nos anos 1980, Izidoro mudou de profissão 20 anos atrás.

O simulador equivale a uma pista de mil metros (um quilômetro) de extensão. Por ele, o taxista economiza tempo, combustível e não tem o trânsito a lhe perturbar, o que até então ocorria durante a inspeção.

Veículos com autorização administrativa municipal (AAM) expedidas no mês de abril começaram a estacionar cedo na sede do instituto. A inspeção deve durar até outubro deste ano e o atendimento diário obedece aos números finais da placa.

A verificação metrológica garante o valor cobrado aos consumidores nas corridas de táxi, sempre condizente com a tabela padrão.

Uma câmera capta a imagem do veículo, registrando sua placa. Na sequência, o relatório online é visto pelo metrologista responsável pelo parecer que aprova ou reprova. O taxista dispõe do uso do selo pelo período de um ano.

Sérgio Alves de Souza, 52, cearense de Fortaleza, 4 filhos, morador no bairro Mariana (zona leste) cumprimentou a direção do Ipem: “Faz 31 anos que trabalho na praça, isso aqui facilitou muito, é confortável, porque antes a gente tinha que ir lá pra perto do aeroporto”.

Léo Fernando dos Santos Tavares, 35, solteiro, três filhos, taxista há sete anos, morador no bairro Nacional (zona norte), também elogiou: “O serviço é rápido, vale a pena”.

“Excelente, o carro chega e com 20 minutos tudo fica pronto e a gente vai embora”, disse Braz Moura Negreiros, 45, morador no bairro Embratel, filiado à Cooptaxi, que reúne duzentos motoristas.

Braz também conserta e faz aferição de taxímetros para cooperados e demais taxistas interessados.

PADRÃO MODERNO

Antes da aferição, os veículos devem passar por oficinas credenciadas, para verificação das condições de aros das rodas.

Segundo a vice-presidente do Ipem, Evelin Gonçalves, o simulador faz parte de uma série de investimentos do governo estadual no setor – apontando dependências reformadas e ampliadas, calçada-padrão e adequação de espaço para estacionamento.

“O fato de sermos o primeiro a fazer funcionar esse mecanismo se deve à visão de gestão voltada para o avanço tecnológico”, disse o diretor técnico Ronaldo Lessa.

COMO FAZER

Ao chegar à sede do instituto (Avenida dos Imigrantes nº 1201) o motorista recolhe o valor de R$ 52,18 referente à taxa de verificação anual e só terá despesa adicional se o taxímetro apresentar defeito e for consertado.

Ele paga essa taxa, passa pelo simulador e participa dos três ensaios. Em 15 minutos é liberado.

Pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), o profissional pode agendar o serviço. Neste site

NÚMEROS
Bandeira 1 em Porto Velho
R$ 8,33
Hora parada
R$ 21,00
Bandeira 2
R$ 9,58

Centranet
por Secom Governo
da Secom Governo
Veja mais
Comentários
Carregando...