Ipem estreia simulador de pista que atende em 15 minutos cada um dos 720 taxistas em Porto Velho

Os 720 taxistas de Porto Velho ganham rapidez e comodidade na verificação metrológica e inspeção obrigatórias do aparelho medidor eletrônico. Começou e operar no Instituto de Pesos e Medidas do Estado de Rondônia (Ipem) o primeiro simulador fixo de pista instalado no País. O serviço mudou de lugar: antes era feito próximo ao Espaço Alternativo.

A aferição só não abrange táxis do ponto dos distritos e do Aeroporto Jorge Teixeira, que não usam esse aparelho.

Publicidade

Publicidade

Paulo Izidoro, 55 anos, maranhense, pai de cinco filhos, um dos primeiros a chegar, foi recepcionado pelo diretor presidente do Ipem, Edvaldo Soares. “Está ótimo, é bem mais rápido do que lá perto do Hospital de Base”, comentou Izidoro referindo-se ao antigo posto de fiscalização.

Maranhense de Santa Inês, ex-mergulhador nos garimpos do rio Madeira nos anos 1980, Izidoro mudou de profissão 20 anos atrás.

O simulador equivale a uma pista de mil metros (um quilômetro) de extensão. Por ele, o taxista economiza tempo, combustível e não tem o trânsito a lhe perturbar, o que até então ocorria durante a inspeção.

Veículos com autorização administrativa municipal (AAM) expedidas no mês de abril começaram a estacionar cedo na sede do instituto. A inspeção deve durar até outubro deste ano e o atendimento diário obedece aos números finais da placa.

A verificação metrológica garante o valor cobrado aos consumidores nas corridas de táxi, sempre condizente com a tabela padrão.

Uma câmera capta a imagem do veículo, registrando sua placa. Na sequência, o relatório online é visto pelo metrologista responsável pelo parecer que aprova ou reprova. O taxista dispõe do uso do selo pelo período de um ano.

Sérgio Alves de Souza, 52, cearense de Fortaleza, 4 filhos, morador no bairro Mariana (zona leste) cumprimentou a direção do Ipem: “Faz 31 anos que trabalho na praça, isso aqui facilitou muito, é confortável, porque antes a gente tinha que ir lá pra perto do aeroporto”.

Léo Fernando dos Santos Tavares, 35, solteiro, três filhos, taxista há sete anos, morador no bairro Nacional (zona norte), também elogiou: “O serviço é rápido, vale a pena”.

“Excelente, o carro chega e com 20 minutos tudo fica pronto e a gente vai embora”, disse Braz Moura Negreiros, 45, morador no bairro Embratel, filiado à Cooptaxi, que reúne duzentos motoristas.

Braz também conserta e faz aferição de taxímetros para cooperados e demais taxistas interessados.

PADRÃO MODERNO

Antes da aferição, os veículos devem passar por oficinas credenciadas, para verificação das condições de aros das rodas.

Segundo a vice-presidente do Ipem, Evelin Gonçalves, o simulador faz parte de uma série de investimentos do governo estadual no setor – apontando dependências reformadas e ampliadas, calçada-padrão e adequação de espaço para estacionamento.

“O fato de sermos o primeiro a fazer funcionar esse mecanismo se deve à visão de gestão voltada para o avanço tecnológico”, disse o diretor técnico Ronaldo Lessa.

COMO FAZER

Ao chegar à sede do instituto (Avenida dos Imigrantes nº 1201) o motorista recolhe o valor de R$ 52,18 referente à taxa de verificação anual e só terá despesa adicional se o taxímetro apresentar defeito e for consertado.

Ele paga essa taxa, passa pelo simulador e participa dos três ensaios. Em 15 minutos é liberado.

Pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), o profissional pode agendar o serviço. Neste site

NÚMEROS
Bandeira 1 em Porto Velho
R$ 8,33
Hora parada
R$ 21,00
Bandeira 2
R$ 9,58

Source Secom Governo
Via Secom Governo
You might also like
Comments
Carregando comentários...