Publicidade

Um homem de 47 anos, em visível estado de embriaguez, capotou um automóvel, modelo Chevrolet Classic, na pista do morro Chico Mendes, em Ouro Preto do Oeste na tarde desta quarta-feira (1º). No acidente, o motorista colidiu contra um poste de concreto de energia elétrica que caiu e interditou o acesso às rampas de saltos de paraglider. Técnicos da Central Norte, empresa que presta serviço à Eletrobras Distribuição Rondônia, desligaram a energia, e isolaram a área.

O condutor do veículo, Joel S. F., que é servidor estadual, estava acompanhado de uma mulher de 22 anos que mora no Jardim Aeroporto. Os dois foram socorridos pelo Corpo de Bombeiros ao Hospital Municipal Dra Laura Maria Carvalho Braga com pequenas lesões, depois foram conduzidos para a Delegacia de Polícia Civil por policiais militares que atenderam a ocorrência.

Publicidade
sãopaulo
sãopaulo
sãopaulo
sãopaulo

Os policiais militares relataram no boletim de ocorrência que o condutor admitiu que estava ingerindo bebida alcoólica no morro Chico Mendes, mas quis negar que estava dirigindo o carro na hora do acidente. No entanto, a mulher que o acompanhava e testemunhas confirmaram que ele era o motorista. No local do acidente, os PMs encontraram latas de cerveja vazias, e no interior do veículo havia uma caixa com três latas cheias.

A Polícia Militar de Ouro Preto está sem bafômetro, mas de acordo com a Lei nº 13.281/2016 que inseriu no Código de Trânsito Brasileiro a Lei 9.503, de setembro de 1997, o Artigo 165-A, que sujeita o condutor do veículo a ser submetido a procedimento que permita certificar influência de álcool ou substancia psicoativa a pagar multa no valor de R$ 1.915,40 e a ficar sem dirigir pelo período de 12 meses, além da retenção do veículo.

Como Joel confessou que ingeria bebida alcoólica e a PM recolheu prova material, a infração é gravíssima.

PublicidadeOs comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.