Publicidade

O Centro Técnico Estadual Profissional Abaitará em Pimenta Bueno se prepara para receber 320 alunos neste ano letivo, que começa em março. Este número é quase três vezes superior aos 120 alunos que o Abaitará vinha recebendo anualmente.

Segundo a diretora Eliane Cristina Faria, este aumento é uma determinação do governador Confúcio Moura. “Este avanço decorreu do esforço coletivo do governador, juntamente com sua equipe, para ampliar os espaços físicos do Abaitará com o objetivo de triplicarmos o número de atendimentos. Com tantos investimentos, e por oferecer um ensino diferenciado, o governador Confúcio nos deu como meta ampliar a oferta de vagas no Abaitará”, explicou Eliane.

Publicidade
sãopaulo
sãopaulo
sãopaulo
sãopaulo

O Centro Técnico Estadual Profissional Abaitará, localizado no Km 32 da RO-010, em Pimenta Bueno, está instalado em uma área de 225 hectares, e tem como diferencial a oferta de formação técnica integrada ao Ensino Médio nas áreas de agroecologia, agropecuária, aquicultura, agronegócio e técnico em informática.

Há três anos em pleno funcionamento, o Abaitará se tornou referência em educação, atraindo alunos dos mais diversos municípios do Estado de Rondônia, conforme a diretora. A qualidade do ensino e a estrutura física se tornaram o principal atrativo.

Os 320 alunos previstos para o ano letivo de 2017 estarão divididos nas três séries do Ensino Médio, sendo 220 alunos cursando o 1º ano, 50 o 2º ano e 50 o 3º.

“Nós contamos com o apoio de servidores, pais e estudantes à frente da divulgação do trabalho desenvolvido ao longo destes anos de funcionamento do Instituto Abaitará. A satisfação dos pais e estudantes é, sem sombra de dúvidas, a nossa maior propaganda”, orgulha-se a diretora do Abaitará.

Ainda de acordo com Eliane Faria, além de praticamente triplicar o número de alunos atendidos, o Abaitará tem como meta receber e promover a inclusão de alunos vindos de diversas comunidades. “Este ano faremos um trabalho de inclusão ímpar no estado, atendendo à populações do Baixo-Madeira, indígenas, filhos de produtores rurais, vindos até mesmo do Estado do Mato Grosso. Nossos estudantes serão atendidos em regime de internato e terão toda assistência necessária para uma excelente formação social e acadêmica”, completou a diretora.

INFRAESTRUTURA

Nos últimos anos, o Instituto recebeu significativos investimentos, como melhorias nas salas de aula, nos alojamentos masculinos e femininos, lavanderia, refeitório, construção de espaços de convivência, quadra coberta, laboratórios, além da construção de unidades técnicas determinantes para o curso profissionalizante em agroecologia, como curral, aprisco, pocilga e aviário.

Passando por novas ampliações, até o início do ano letivo, em março, o Abaitará contará com mais uma ala de dormitórios femininos com 104 lugares, dois pavilhões com seis novas salas de aula, academia ao ar livre, duas novas alas de banheiros masculino e feminino e uma área de convivência com paisagismo.

A instituição de ensino está recebendo as obras através de parcerias público-privado, com apoio das Secretarias de Educação, Desenvolvimento Ambiental (Sedam) e de Justiça (Sejus), das Superintendências de  Desenvolvimento (Suder) e de Gestão do Gastos Públicos Administrativos (Sugespe), além do Departamento de Estradas de Rodagem, Infraestrutura e Serviços Públicos (DER).

PublicidadeOs comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.