Publicidade

Publicidade

Publicidade

Adolescente é apreendida com 17 kg de skunk no Aeroporto de Brasília

Passageira de 17 anos embarcou em Rondônia. Pelo menos 5 mulheres jovens, da região Norte, foram presas pela PF em março no terminal.

0
Real Turismo

A Polícia Federal apreendeu, nesta quarta-feira (27), uma adolescente com 17 quilos de skunk – uma versão potencializada da maconha – no Aeroporto Internacional de Brasília. A jovem embarcou em Porto Velho (RO) e fez escala no DF.

Segundo a PF, a droga estava na mala da jovem de 17 anos. Ela contou à policia que levaria o entorpecente para Salvador (BA). Ao todo, havia 16 tabletes de skunk na bagagem.

De acordo com os policiais, a droga não foi detectada na capital de Rondônia. Somente após o pouso, no Distrito Federal, os agentes identificaram a substância pelo aparelho de raio-X. Ao revistar a bagagem, a suspeita de substância ilegal foi confirmada.

A jovem foi encaminhada à Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente, onde deve ficar à disposição da Vara da Infância e da Juventude.

O caso da adolescente apreendida nesta quarta-feira foi, pelo menos, o quinto descoberto pela Polícia Federal no Aeroporto de Brasília, no mês de março, que envolve mulheres jovens vindas da da região Norte.

Outros casos

Na semana passada, uma mulher foi presa com 3 kg de cocaína presos ao corpo por esparadrapos. Ela vinha de Rio Branco, no Acre, para Brasília e tentava embarcar em um voo para Belém (Pará).

No dia 13 de março, outra jovem – também de 17 anos – foi apreendida com 1,7 quilo de skunk ao desembarcar no Aeroporto Internacional de Brasília. Ela havia embarcado em Manaus, no Amazonas.

Dois dias antes, em 11 de março, uma mulher de 23 anos chegou ao aeroporto com 1,5 quilo de skunk. Ela também vinha de Manaus.

Uma segunda mulher, de 24 anos, esperava no saguão do terminal e também foi presa pela Polícia Federal.

A PF não reconhece uma “uma rota de tráfico” da região Norte para Brasília e disse que “não há ligação entre os casos”.

Skunk

A “supermaconha” é resultado de cruzamento entre espécies distintas da planta. Com a variação genética, o skunk é obtido com a concentração maior do tetraidrocanabinol (THC).

De janeiro a março deste ano, cerca de 22 quilos da droga foram apreendidos no Aeroporto Internacional de Brasília.

por G1/RO
da G1/RO

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarVeja Mais