Agropecuária representa a maior fatia do Produto Interno Bruto de Rondônia

0
Real Turismo

A Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão (Sepog), através da Gerência do Observatório, em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística( IBGE), Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) e Institutos e Órgãos Estaduais de Planejamento, divulga o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado de Rondônia sob a ótica da produção e da renda referente ao ano de 2017.

O PIB de Rondônia, em valores correntes, somou o montante de R$ 43,51 bilhões em 2017, representando 0,7% na economia brasileira. A variação em volume foi de 5,4%, influenciada, sobretudo, pela agropecuária e pela indústria de geração de energia elétrica, já o PIB per capita alcançou R$ 24.092,81, ficando acima da média da região Norte, que foi de R$ 20.509,47.

A agropecuária tem grande influência na economia rondoniense e teve sua participação no valor adicionado do Estado, elevada de 13,9% para 15,0%, além de ter crescido 19,6% em volume, entre os anos de 2016 e 2017. O apoio à agricultura e pós-colheita destacaram-se o cultivo e produção de cereais, leguminosas e oleaginosas, dentre os quais, a soja, o milho, o café, o arroz e o feijão – principais produtos que contribuíram para o crescimento em volume de 31,6% da atividade. Na pecuária atividade que correspondeu a 9,9% da economia do estado em 2017 (10,1% em 2016), teve variação em volume de 11,1%, com destaque para a produção de leite e o aumento do efetivo de bovinos.  A produção florestal, pesca e aquicultura, por sua vez, variou em volume 66,4%, em função da silvicultura de lenha e madeira em tora.

Na indústria houve crescimento em volume de 8,1% resultado alavancado principalmente pela atividade de eletricidade e gás, água, esgoto, gestão de resíduos e descontaminação, cuja participação no valor adicionado bruto do estado elevou-se de 6,9% para 11,3%, entre 2016 e 2017. Nesta atividade, com variação em volume de 32,0%, o desempenho foi motivado pela geração de energia elétrica das usinas Jirau e Santo Antônio. As Indústrias de transformação cresceram 1,0%, influenciado pelo abate e preparação de carne para exportação. Já construção teve queda em volume de 16,3% e perda de participação de 0,8 pontos percentual, de 4,8 para 4,0, principalmente em obras de infraestrutura de construção de rodovias.

O setor serviços correspondeu a 64,2% do valor bruto do estado, apresentaram variação em volume positiva (1,6%), mas perderam participação em valor. Ressalte-se, entretanto, o desempenho de Comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas, atividade que seguiu o padrão de crescimento nacional estimulado pelo aumento de consumo e variou em volume 3,0%. Já a atividade Transporte, armazenagem e correio, o crescimento de 17,3% foi justificado em grande medida pelo transporte aquaviário de cargas, atrelado ao escoamento das produções de soja e de milho. Por fim, a atividade Administração, defesa, educação e saúde públicas, defesa e seguridade social houve queda de 0,9%, e perda de participação relativa, saindo de 28,0% em 2016 para 27,4% em 2017.

Pela ótica renda os componentes do valor adicionado Bruto de Rondônia em 2017 ficaram distribuídos da seguinte forma: Remuneração com 46,4%; Impostos sobre Produção com 10,6% e, Excedente Operacional Bruto acrescido do Rendimento Misto Bruto ficou com 43,1%.

Fonte: Governo de Rondônia

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarVeja Mais