Compartilhe
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
31
Maio
2020

ALE-RO cria comissão especial para investigar denúncias contra Confúcio

Denúncias pedem afastamento imediato por meio de um impeachment.
Servidores protocolaram denúncias embasadas por operações da PF.

foto_2_3Ísis Capistrano
Do G1 RO

A Assembleia Legislativa do Estado de Rondônia (ALE-RO) estabeleceu a criação de uma comissão especial para analisar denúncias contra o governador de Rondônia, Confúcio Aires Moura, na tarde desta terça-feira (2), em Porto Velho. A comissão deve analisar denúncias apresentadas por dois servidores públicos que pedem o afastamento imediato de Moura, por meio de um impeachment e enquadramento por crime de responsabilidade.

O G1 tentou entrar em contato com o governador para questionar seu posicionamento, mas não teve retorno até a publicação desta matéria.

As denúncias foram lidas na tarde desta terça e serão encaminhadas para a comissão. Elas são embasadas na operação Plateias, deflagradas pela Polícia Federal (PF), em novembro passado, e na descoberta de novas provas durante a apuração da Operação Termópilas, deflagrada pela PF em novembro de 2011.

A comissão

Segundo o presidente da ALE-RO, deputado Hermínio Coelho (PSD), as duas representações serão apreciadas pelos deputados que formarão a comissão.

Simpatizantes de Confúcio acompanharam sessão (Foto: Ísis Capistrano/ G1)
Simpatizantes de Confúcio acompanharam
sessão (Foto: Ísis Capistrano/ G1)

A comissão será composta pelos deputados Cláudio Carvalho (PT), Eurípedes Lebrão (PTN), Euclides Maciel (PSDB), Valdivino Tucura (PRP) e Edson Martins (PMDB). Tais deputados foram escolhidos por votação e serão responsáveis por analisar as denúncias.

Denúncias

Um dos servidores pediu na denúncia que o governador seja enquadrado por crime de responsabilidade, alegando que ele é alvo de “investigação por cometimento de atos ímprobos”, segundo a ALE-RO. O outro servidor pediu o impeachment do governador, enfatizando as operações Plateias e Termópilas, cujas investigações dão conta de “uma verdadeira quadrilha agindo dentro do Governo do Estado de Rondônia”.

Notícias Relacionadas