Compartilhe
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
17
jan
2021

As decisões autoritárias do STF, refletem em todo Brasil, Espigão do Oeste não escapou do peso da TOGA.

Editorial

O Juiz de Direito da 2º Vara Genérica de Espigão do Oeste, acatou o pedido do Ministério Público e determinou que o município adote medidas mais rígidas no enfrentamento ao COVID-19. ( Veja a matéria aqui)

Mas ao deferir o pedido o magistrado determina dentre outras medidas, que fica expressamente proibido a reunião de qualquer natureza com mais de 10 (dez) pessoas em Espigão do Oeste, aqui fica claro que caso uma família com mais de 10 integrantes estivesse cogitando celebrar o Natal juntos, isso não será mais permito, ao menos não de forma legal.

Determina também que bares, lanchonetes, restaurantes dentre outros estabelecimentos, passem a funcionar tão somente no sistema de delivery ou que as pessoas apenas retirem os produtos no local, para evitar aglomerações. As medidas parecem querer proteger a sociedade como um todo.

Mas aonde estavam os mesmos promotores e juízes há dias atrás quando campanhas eleitorais funcionavam a todo vapor, com reuniões e aglomerações, aperto de mão e abraços? Aonde estava a promotoria de Espigão do Oeste que não viu nada disso?

Após um ano conturbado para todos os cidadãos trabalhadores do Brasil, medidas como essa de Espigão do Oeste, tem efeito devastador na já combalida economia local, empresas que já não funcionam de forma sadia financeiramente, podem e provavelmente vão fechar as portas muito em breve.

O setor privado brasileiro sofreu e ainda vai sofre muito com os efeitos dessa devastadora pandemia, mas os trabalhadores do serviço público não “contribuíram para amenizar os efeitos econômicos” no Brasil. É muito confortável manejar Ação Civil Pública ou proferir decisões como a de Espigão do Oeste, quando nem R$ 0,01 (um centavo) foi diminuído dos seus altos salários, pagos pela sociedade.

Ficar em casa sendo; juiz, promotor, funcionário público de alto escalão principalmente do judiciário, vereador ou Prefeito, é muito fácil e confortável. Difícil mesmo é ser afegão médio no Brasil.

Coronavírus mata, falta de empatia e fome também.

Atualização às 17h31m

A decisao é de 23/09/2020, e foi divulgada hoje pelo site da Prefeitura Municipal de Espigão do Oeste. (Veja aqui)

Notícias Relacionadas