Publicidade

Publicidade

Bombeiro resgata bebê em vaso sanitário após parto prematuro em Vilhena

0
Real Turismo

O que poderia ser uma trágica história se transformou em um verdadeiro milagre. Na última segunda-feira (15), às 6h40 da manhã, o cabo Rômulo César atendeu a uma ocorrência de parto prematuro que havia ocorrido em uma casa, no município de Vilhena. Ao chegar no local, se deparou com a cena de um bebê recém-nascido dentro do vaso sanitário, desacordado. A mãe, uma adolescente de 15 anos de idade, alegou ter ficado sem reação após ir ao banheiro e entrar em trabalho de parto.

Rapidamente os bombeiros que atenderam à ocorrência retiraram o bebê e tentaram reanima-lo, usando a técnica da tapotagem ou técnica de simulação da tosse, no qual o profissional dá leves batidas nas costas da vítima. Uma técnica bastante usada em casos de engasgo, acumulo de secreção pulmonar entre outros.

“Foram 15 minutos usando a técnica da tapotagem e fazendo respiração cardiopulmonar. O bebê já estava sem coloração, até que deu um sinal de vida, e gorfou. Foi um verdadeiro milagre!”, afirmou emocionado o cabo Rômulo César, responsável pelo resgate do bebê.

A criança do sexo feminino recebeu os primeiros atendimentos ainda no local, após ser encaminhada para o Hospital Regional de Vilhena. Depois dos procedimentos necessários, mãe e filha foram transferidos para o Hospital Samar, conveniado ao governo do Estado, localizado em Porto Velho.

De acordo com informações da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), o bebê se encontra internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal em estado grave, porém estável.

Sobre o bombeiro que resgatou o bebê

Rômulo César Pedro, mais conhecido como cabo César, tem 37 anos de idade e é natural de Minas Gerais, mas veio para Rondônia ainda criança com a família. Há 8 anos na profissão, o cabo do Corpo de Bombeiros já atuou em situações semelhantes e até mais graves. César se considerada discreto e sobre o resgate do bebê, diz ter sido uma obra divina. “Foi Deus quem fez esse milagre, fui apenas um instrumento naquele momento”.

 

por Secom
da Secom

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarVeja Mais