Compartilhe
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
10
abr
2021

AGENTES DE TRÂNSITO: 58,8 PORCENTO DO SALÁRIO É PRODUTIVIDADE

004A grita contra multas no trânsito em Porto Velho continua forte. A situação ainda é inexplicável em muitas situações, principalmente por dois motivos. O primeiro: não há necessidade de qualquer prova para multar alguém.  A infração lavrada é considerada como verdadeira, não importando as contestações das “vítimas”. E isso que há casos em que condutores foram multados por não estarem usando cinto de segurança em moto ou capacete dirigindo carros. Ou seja, basta o agente e seu companheiro (sempre estão em dupla), aplicar a infração e, sem qualquer chance de defesa, o que é absolutamente ilegal e inconstitucional, o pobre coitado tem que pagar e calar. O segundo motivo , à primeira vista, incontestável. Na composição dos salários dos agentes, a maior fatia, a que viabiliza um ganho bastante positivo, é a chamada “Produtividade – LC”. Vejamos, então. O vencimento básico do agente é de 916,47 reais. Tem direito a 20 por cento de insalubridade: 183,29 reais. Ganha ainda Auxílio Alimentação, de 240 reais. E mais 114,40 reais para Auxílio Transporte. Mas qual a maior fatia salarial? É exatamente a tal de “Produtividade”,  que chega ao valor de 2.082,94.

O que significa a Produtividade para um agente de trânsito? Claro que quer dizer que ele ganha pelas ações que pratica, materializadas em multas expedidas. Não tem outra explicação. Num vencimento total de 3.537,40, 2.082,94, ou seja, 58,8 por cento são referentes à produção individual. Sempre que os contribuintes chiaram com as multas exageradas, a Semtran negou que havia participação dos agentes no volume financeiro de infrações distribuídas. O contra cheque deles aponta exatamente para o contrário. Ou Produtividade mudou o sentido ou alguém, dentro da Semtran, está dando informação errada à população. Tem que explicar…

 

 

PEDOFILIA

De vez em quando, explode mais um escândalo na Igreja. A última foi aqui mesmo em Rondônia, em Ariquemes. O padre João Selhost, à frente de uma paróquia há três anos, está sendo acusado de abuso sexual contra um menor. Quando a polícia foi fazer busca e apreensão na casa paroquial, encontrou uma arma não registrada e o padre acabou preso. Pagou fiança e já está solto. Vai responder em liberdade. A Igreja Católica está convivendo há décadas com esse grave problema, que envolve denúncias de pedofilia em praticamente todo o mundo. Como é uma má notícia, claro que Rondônia não ficou de fora!

VAI PIORAR

A crise no transporte coletivo da Capital continua. A quem culpar? Sem dúvida, a responsabilidade cabe à Prefeitura. Acabou tomando uma série de medidas contra as atuais empresas, praticamente tornando-as inviáveis, para só então anunciar a abertura de licitação para novos grupos no setor. E até lá, como ficarão as coisas? Ao não conceder reajuste das tarifas há cinco anos, também está tornando impossível a sobrevivência das duas organizações que hoje – e há mais de duas décadas – realizam o transporte de passageiros em Porto Velho. E é bom avisar: as coisas ainda vão piorar muito. Pobres dos passageiros!

 

LÚCIA DÁ DURO

A deputada Lucia Tereza anda trabalhando duro. Na sua área de influência, a região de Espião, Lúcia, que já prefeita duas vezes, é tratada como uma personalidade querida por todos. Tem momentos em que não pode nem andar alguns passos nas ruas, pelo tratamento de celebridade que recebe. A cada passo, tem que parar que falar com seu público. É isso que a motiva, diz ela. Além de vários apoios que tem dado à sua região e sua cidade, Lúcia Tereza agora está na batalha pelo recapeamento da RO 387, que liga Espigão a BR 364. Quem a conhece, sabe que ela vai insistir tanto com o governador Confúcio Moura, que vai acabar conseguindo.

 

DE OLHO EM 2016?

A deputada fez questão de destacar também o apoio do procurador federal Reginaldo Trindade, que conseguiu apoio para realizar a Operação Aciso, no mês de outubro, em Espigão. A deputada destaca que a operação será muito positiva para os povos indígenas, mas também para toda a população. Serão feitos atendimentos em várias especialidades médicas, incluindo oftalmologia, uma das maiores deficiências da região, além de tratamentos odontológicos. Lúcia está batalhando. Será que ela estará de olho em 2016? Ou quer mesmo é ficar onde está?

 

MARCELINAS, DE NOVO!

Uma das mais importantes instituições sociais de Rondônia, as Irmãs Marcelinas de Porto Velho, estão de novo enfrentando dificuldades. Uma delas é informação de que alguns pagamentos do governo não são feitos desde o final do ano passado. Outra, de que foram destinados até agora à entidade apenas 10 por cento do valor imaginado na promoção aquela de prêmios para quem exigisse a nota fiscal (alguém aí lembra do programa Nota Legal?). A estrutura de investimento que as Marcelinas criaram, pensando em receber boas quantias, custou mais caro do que elas realmente receberam.

PERGUNTINHA

A participação cada vez mais ativa, influente e decisiva do Ministério do Público em outros poderes, como o Executivo e o Legislativo, é positiva ou negativa para as instituições?

Notícias Relacionadas