Publicidade

Publicidade

Publicidade

Chefe da Casa Civil de RO diz que apagões no estado são propositais

0
Real Turismo

O chefe da Casa Civil, Emerson Castro, informou em seu perfil no Facebook que o o Operador Nacional do Sistema (ONS) desliga a energia de Rondônia propositalmente quando a demanda enérgica aumenta no Centro-Sul do país. Na mensagem publicada no último domingo (20), ele diz que a explicação foi passada pelo presidente da Eletrobras no estado. Ao G1, o ONS nega as acusações. Já a Eletrobras ainda não se pronunciou sobre o caso.

Emerson Castro alega que o presidente da Eletrobras, Luis Marcelo, teria dito que a subestação que transmite e distribui energia elétrica para o Rondônia não tem capacidade para converter a totalidade da energia gerada pelas usinas hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau.

Citado no texto do chefe da Casa Civil, o presidente da Eletrobras informou que irá se pronunciar sobre o caso durante entrevista coletiva marcada para esta segunda-feira (21), às 15h.

“O que acontece quando aumenta muito a demanda [de energia] no centro sul [do país]? Cortam aqui pra que não haja desabastecimento lá, pois o impacto é muito superior em número de habitantes que na nossa região”, diz a postagem de Emerson Castro.

Além disso, ele também afirma no texto que o ONS “age sem avisar” e “canaliza a energia de acordo com o monitoramento que fazem em tempo real”.

Nesta segunda-feira (21), o chefe da Casa Civil explicou que o post teve como intuito alertar que os apagões poderiam ser evitados com a reativação de termelétrica Termonorte e a explicação que recebeu informa que as cidades registram picos de consumo. “Da mesma forma que aqui tem hospitais, presídios, etc, grandes cidades como Curitiba e São Paulo também têm. Eles [o ONS] jogam o problema para onde vai ter menos impacto populacional, que no caso é a Região Norte”, disse.

Por e-mail, a assessoria de imprensa do ONS afirma que “não adota na operação do Sistema Interligado Nacional nenhuma política ou prática que possa favorecer cidades ou regiões em detrimento de outras”.

O ONS alega ainda que sistema elétrico é operado com base em Procedimentos de Rede, que são discutidos e aprovados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). “Nesses procedimentos estão definidas as regras para que se possa manter a integridade do sistema elétrico quando há ocorrências”, diz o comunicado. Sobre o apagão de domingo (20), o operador explica que a ocorrência foi “localizada na área afetada e buscou-se amenizar o seu impacto”.

Termoelétrica
Sobre a reativação da Usina Termoelétricas Termonorte, em Porto Velho, paralisada em agosto de 2015, o ONS diz que solicitou a reativação da usina ao Ministério de Minas e Energia (MME).

O operador informou ainda que o reforço ao atendimento aos estados de Rondônia e do Acre se dará a partir da implantação de um terceiro circuito em 230 kV entre as subestações de Porto Velho, Samuel, Ariquemes, Ji-Paraná, Pimenta Bueno, Vilhena e Jauru. A previsão de entrada em operação é para o final de 2015.

A reportagem também tentou contato com o Ministério de Minas e Energia (MNE) para esclarecer as declarações, mas até a publicação desta matéria não houve resposta.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarVeja Mais