Publicidade

Publicidade

COMO O PMDB VAI AGIR QUANDO E SE CHEGAR AO PODER?

0
Real Turismo

O esboço está andando. Falta apenas arte finalizar, na linguagem da publicidade. O tema é a substituição da presidente Dilma por Michel Temer. O impeachment, pelo menos nesse momento, parece uma questão de andamento. Se isso ocorrer, aí sim o Brasil vai conhecer a verdadeira face do PMDB, um partido que sempre esteve ao lado do poder, mas usufruiu muito mais dos bônus do que o dos ônus. Campeão de cargos, sempre amiguinho de quem está no comando, forte e com nomes de peso na política nacional, o partido nunca comandou, mas sempre foi beneficiado. Quando as coisas estão pretas, como agora, no caso Dilma, o PMDB cai fora, deixando suas aliados agarrados ao pincel, porque lhes tira a escada. Só benefícios, nada de problemas. Aliás, se Michel Temer chegar à Presidência, como está parecendo que possa acontecer logo mais, ali na frente, se verá realmente como o maior partido político do país vai se portar, daí não só se alimentando do poder, mas também tendo que cheirar os podres e as mazelas que o compõem. A maior vantagem que os peemedebista terão, nessa hipótese, é o inigualável número de cargos que manterão e outros tantos que distribuirão entre seus apaniguados.

É muito fácil ser oposição. Veja-se por exemplo o caso do PT, que dava lições de como um partido oposicionista deve agir e hoje, no poder, é isso que se vê. É muito fácil ser aliado ao poder, sem precisar exercê-lo em sua plenitude e não sofrer as dores que ele causa, como é o caso do PMDB. Por isso é que o partido terá um teste definitivo, caso Temer tenha que assumir. Aí então se saberá exatamente se o discurso de aliado será o mesmo de quem tem que governar. Pelo jeito, está acabando a moleza do PMDB em só comer o lado doce do bolo. Vamos ver como ele se sairá, se tiver mesmo que comandar e salvar o Brasil!

 

 

 

 

PRIMEIROS NOMES

 

Quem serão os nomes que entrarão na briga pelo governo, em 2018?  Embora falte muito tempo ainda, o tema já é recorrente nos meios políticos. Não há qualquer dúvida que um dos futuros candidatos será o atual senador Acir Gurgacz. Todo o seu esforço e do seu grupo, está direcionado para isso. Expedito Júnior também é um político que está pronto para entrar na briga. Os dois repetiriam a disputa para o Senado, quando Expedito ganhou fácil e depois acabou sendo cassado, entregando a vaga a um Gurgacz que soube aproveitar e se reelegeu fácil.

CASSOL E OUTRAS OPÇÕES

Do grupo de Ivo Cassol, Jaqueline, sua irmã, seria a mais cotada? Que outro nome com reconhecimento estadual o PP e o grupo cassolista poderiam apoiar? Do PMDB pode sair outro nome, mas não se fala ainda sobre isso. O partido, aliás, pode apoiar Gurgacz. O PSB de Mauro Nazif poderia indicar Daniel Pereira, atual vice governador, que está tendo uma atuação destacada na administração estadual. E o PT, teria alguém para entrar nessa briga? No atual estágio da política nacional e local, nem o agora ex padre Ton poderia fazer algum milagre. O PSOL deve ir mesmo de Pimenta de Rondônia. Quem mais? Muito pouco…

 

CINCO PARADAS

 

No rol enorme de obras inacabadas do Estado, há mais uma que nunca chega nem perto do final. Trata-se do novo Presídio de Ariquemes, com 360 vagas. Parece brincadeira, mas infelizmente não é. O trabalho teve início em 2008 e até agora nem perto de terminar. Principalmente porque foi iniciado e parado já por cinco vezes. Isso mesmo. Cinco vezes. É mais uma situação esdrúxula, acobertada por uma legislação que não pune nenhum (i) responsável, a não ser os que seriam beneficiados com uma obra de tal vulto. Sem o novo presídio, os detentos se amontoam nas cadeias da cidade. Ninguém dá bola.

DILMA E A AMPULHETA

A areia da ampulheta está marcando o andamento do tempo. A cada dia, fica mais difícil para a presidente Dilma Rousseff se manter no poder e ter apoio no Congresso, já que o apoio das ruas ela perdeu há tempo. As medidas econômicas não estão dando certo, as decisões mudam todos os dias, as declarações desastradas da presidente e dos seus porta vozes só colocam  gasolina na fogueira, ao invés de água para apagar o incêndio. O ex presidente Lula, que poderia ajudar, também está tratando de salvar a própria pele. O PT está minguando e as esquerdas estão sem rumo. O tempo está andando. Até quando Dilma vai aguentar?

 

SANGUE NO TRÂNSITO

 

De um lado, a alegria de um Feriadão, entre tantos do ano, que começou nesta sexta à noite e vai até a noite de segunda. De outro, o desespero de sempre, nessas datas: as autoridades de trânsito esperam grande  número de acidentes,m feridos e mortos. A Polícia Rodoviária vai intensificar a fiscalização nas rodovias de Rondônia e Acre; no Pronto Socorro do João Paulo II, plantão reforçado e várias blitz da Polícia Militar estão programadas. Os alvos principais são os malucos que andam em alta velocidade e os bêbados, que continuam dirigindo pelas ruas, avenidas e rodovias. Na terça, saberemos quanto sangue rolou em centenas de acidentes.

  

PERGUNTINHA

De onde os prefeitos da maioria dos municípios brasileiros – e muitos de Rondônia – tirarão recursos para pagar em dia o 13º salário para os seus servidores, no final do ano?

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarVeja Mais