Publicidade

Publicidade

Publicidade

Defesa agropecuária é reforçada em Rondônia com criação do Programa Estadual de Educação Sanitária

0
Real Turismo

Com a proposta de fortalecer ainda mais as ações voltadas à qualidade da produção rural e da agroindústria no estado, o Governo de Rondônia criou, no âmbito da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril (Idaron), por meio da Portaria 774/2019, o Programa Estadual de Educação Sanitária em Defesa Agropecuária (PEDSA).

O objetivo geral, segundo o presidente da autarquia, médico veterinário Júlio Cesar Rocha Peres, é promover, por meios educativos, a saúde animal, a sanidade vegetal, a qualidade dos produtos e subprodutos de origem animal e vegetal e a conformidade dos insumos agropecuários. “Em resumo, estamos dando maior ênfase as ações preventivas e de orientação aos produtores e aos servidores da Idaron”, explica.

O programa tem ainda como base projetos socioeducativos, que objetivam conhecer a comunidade para que seja determinada a ação que melhor se adéqua a região (pit stop, palestra, curso, etc). Posteriormente, é aferido o impacto do trabalho realizado e o avanço na conscientização da população em relação ao status de saúde animal e sanidade vegetal da área abrangida pelos técnicos da Idaron.

Coordenado pela fiscal estadual agropecuária engenheira agrônoma Rachel Barbosa da Silva, o PEDSA visa também a inovação do atual sistema de defesa, através do aumento da eficiência e eficácia dessas atividades, com ações sustentadas em iniciativas educacionais e de comunicação social.

Referindo-se à parte técnica do programa, a engenheira agrônoma diz que o PEDSA está vinculado à Coordenação Técnica (Cotec/Idaron) para melhor atender as gerências (GDSA, GIDSV e GIPOA) que demandam ações específicas, além daquelas de cunho geral. “O programa visa ainda a educação continuada para capacitar o corpo técnico priorizando o processo de transição de status sanitário, como atualmente, com a suspensão da vacina contra febre aftosa”, salienta.

Sobre os resultados esperados, Rachel Barbosa acrescenta que a Idaron pretende obter, a partir dessa inovação, e de um sólido planejamento do processo educativo, novas perspectivas e estímulo ao cidadão para que ele assuma responsabilidades e se torne um sujeito participativo e transformador da realidade, “se sentindo comprometido, corresponsável e partícipe dos trabalhos desenvolvidos em sanidade”.

por Secom
da Secom

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarVeja Mais