Compartilhe
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
17
set
2020

Denúncias de falhas no Combate ao COVID-19 em Espigão do Oeste; muitas já foram resolvidas

Após a divulgação do primeiro caso positivo de COVID-19 em Espigão do Oeste, servidores da saúde municipal entraram em contato com o Portal Espigão para fazer denúncias quanto a falta de preparo do município para o caso. De posse das informações repassadas, o site buscou mais informações e também entrou em contato com a Secretária de Saúde Municipal.

 

Primeiro Caso de Covid-19, a saúde pública não estava pronta

 

Apesar dos relatos e entrevistas concedidas pelo Prefeito Municipal e pela atual secretária que tinha acabo de assumir a pasta, dizendo que estava tudo dentro da normalidade e que o município estava preparado para atender, a realidade é bem diferente daquela que foi propagada em entrevistas.

 

O primeiro paciente que foi testado positivo para COVID-19, chegou a ficar internado no Hospital Municipal, no começo foi tratado para outra doença, e os profissionais de saúde que estavam trabalhando no dia, tiveram contato com o paciente. Segundo relatos dos profissionais que foram confirmados com a atual chefe da pasta da Saúde, na época a administração municipal não tinha feito ainda uma sala de isolamento, de acordo com as normas estabelecidas pelo Ministério da Saúde.

 

Hoje todos os casos suspeitos são tratados em um ambiente isolado, que funciona provisoriamente, no Materno Infantil. Hoje sim, a saúde pública de Espigão encontra-se apta para tratar os casos de COVID-19, apesar de ainda apresentar algumas pequenas falhas, que são normais em tempos de Pandemia.

 

Importante lembrar, que o primeiro caso de Espigão do Oeste foi noticiado dia 30 de abril, sendo que o primeiro caso de COVID-19 no Brasil foi em 26 de fevereiro, assim a gestão municipal, teve tempo hábil suficiente para que pudesse adotar, todas as medidas necessárias para tratar da forma correta os pacientes, contudo, não foi capaz de criar sequer uma sala de isolamento para fazer a triagem dos pacientes que chegavam ao Hospital na época, expondo a sociedade ao risco de contaminação, uma vez que os pacientes com outras doenças, também iam ao hospital para tratamento. A Prefeitura de Espigão do Oeste aparentemente foi negligente neste ponto.

 

Medidas assertivas estão sendo tomadas desde então

 

Apesar dos problemas iniciais, passado o caos do primeiro caso, o município tem tomados medidas assertivas no tratamento dos casos de COVID-19, bem como os suspeitos. A criação do local de isolamento, a compra de equipamentos e contratação de pessoal, são algumas das medidas adotadas.

 

Barreira Sanitária

 

Criticada por alguns, elogiadas por outros, a barreira sanitária tem sido importante para o enfretamento a pandemia, diversos relatórios tem tido origem nas entrevistas feitas no local, e o monitoramento tem se mostrado eficiente, apesar de outras cidades não adotarem, a medida é válida, já que em Espigão por ser fora da BR, tem a possibilidade de fazer o controle de entrada e saída.

 

Dedetização dos pontos de aglomeração

 

Outro ponto que vem sendo negligenciado pela Prefeitura Municipal, é a dedetização dos locais aonde inevitavelmente acontece aglomerações, segundo a Secretária de Saúde a prefeitura não conseguiu ainda comprar o material que será usar nos locais, sendo que não é segredo para ninguém que as prefeituras assim como o Governo do Estado e o Federal, estão dispensadas de fazer licitação para compras referente ao COVID-19, o que aparenta ser despreparo da prefeitura municipal para o caso em específico, parece não ter se planejado.

 

Testes de Coronavírus

 

Segundo o protocolo adotado em todo território nacional, os testes são feitos apenas nas pessoas que apresentarem os sintomas, assim tem sido feito em Espigão do Oeste, que dispõe de testes rápidos também além do convencional.

 

No caso dos testes rápidos, chegou recentemente para o município, aproximadamente 180 testes, alguns já foram utilizados, mas grande parte ainda não, a secretária não tinha em mãos no momento, a quantidade exata que se encontra a disposição dos munícipes.

 

Sendo que o teste em regra é feito, passado 03 a 05 dias em que o suspeito encontra-se com os sintomas.

 

Novos casos de contaminação

 

Acredita-se que novos casos de contaminação podem aparecer nos próximos dias, a pandemia tem mostrado que de acordo vai aumentando a quantidade de testes, os casos começam aparecer em um número maior também, sendo que diversas pessoas são assintomáticas, contudo podem ser transmissores do vírus, motivo que reforça a importância do isolamento social, bem como do uso de máscaras e álcool em gel.

Notícias Relacionadas