fbpx
Informação a Serviço da População.
Real Turismo

Deputado Estadual Léo Moraes se pronuncia sobre greve do transporte coletivo na capital

Na última quarta-feira (8), trabalhadores do transporte coletivo de Porto Velho paralisaram suas atividades. A greve por tempo indeterminado, foi acarretada por problemas salariais junto ao Consórcio Sistema Integrado Municipal (SIM).

O Deputado Estadual Léo Moraes se pronunciou com relação a paralisação dos ônibus e enfatizou que “a empresa contratada precisa dar mais atenção aos seus trabalhadores e cumprir com o que foi acordado. O município não pode protelar para resolver de uma vez por todas essa questão, afinal, temos mais de 60 mil pessoas que dependem do transporte coletivo na nossa capital. “

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Transportes Coletivo Urbano (Sitetuperon), o Consórcio SIM suspendeu o reajuste de 4% dado aos trabalhadores e ainda descontou, de uma única vez, os valores, relativos ao aumento, pagos nos últimos quatro meses.

Publicidade

Publicidade

Já o Consórcio SIM, afirmou que mantém os honorários em dia e todos os benefícios dos funcionários, mas que tenta negociações para que o serviço seja retomado o quanto antes.

O Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região (TRT 14) determinou o retorno parcial do transporte coletivo em Porto Velho. Segundo o órgão, no mínimo 90% da frota em horário de pico, no período das 6h às 20h e 70% nos demais horários. Em caso de descumprimento da decisão judicial, será aplicada multa de R$100 mil por dia, além de R$10 mil por veículo.

Léo Moraes disse que sempre foi crítico ao serviço de transporte para os portovelhenses e lembrou que a antiga administração municipal disse que iria acabar com o monopólio, mas não cumpriu. O parlamentar ainda enfatizou a concorrência de empresas que gera qualidade nos serviços para a população.

“Não é de hoje que discutimos sobre a questão do transporte público da capital. Quando fui vereador, fui autor do pedido da abertura de um CPI para colher informações sobre a precariedade dos coletivos, mas foi arquivado. Também fiz denúncias ao Tribunal de Contas e Ministério Público para melhorias no serviço. Precisamos de terminais de verdade, maior e melhor frota com ônibus confortáveis e aumento de linhas para atender a cidade. Queremos qualidade no transporte oferecido para a população, sem improvisos. ” Concluiu Léo.

Centranet
por Assessoria
da Assessoria
Veja mais
Comentários
Carregando...