Publicidade

DER utiliza drones para auxiliar na precisão topográfica e eficiência na execução de projetos de obras públicas em Rondônia

0
Real Turismo

Há cerca de dois meses, os trabalhos topográficos realizados pelo Departamento de Estradas, Rodagem, Infraestrutura e Serviços Públicos (DER) ganhou um grande aliado tecnológico, uma aeronave não tripulada, conhecida popularmente como drone. De forma remota, o equipamento consegue capturar informações detalhadas de um terreno, a chamada fotogrametria. O que permite um trabalho topográfico mais eficiente e preciso.

 De acordo com o chefe do Núcleo de Topografia e Laboratório do DER, o engenheiro agrimensor José Carlos Curvelo, a utilização do drone tem como objetivo complementar e melhorar o trabalho de campo. ‘‘É uma melhoria dentro da topografia por trazer uma visão panorâmica, viabiliza o melhoramento do trabalho de campo e dá uma visão melhor para quem vai fazer os projetos’’, considera o engenheiro.

 

Ele explica ainda que o drone é utilizado em conjunto com a topografia. “Ele não está substituindo o levantamento topográfico, que no DER é feito com auxílio de GPS de alta precisão com resultados em milímetros, tanto na qualimetria quanto na altimetria. Trabalhamos ainda com estação total’’.

Com imagens 3D, mapa de calor e nuvens de pontos, o drone dá base para a eficiência de trabalhos arquitetônicos.
‘‘Facilita a visualização e projeção da obra arquitetônica na área. Muitas vezes o projetista não tem acesso à área, mas tem acesso a essas imagens que auxiliam na elaboração de projetos’’, conta. Uma aplicação recente do equipamento foi o levantamento feito em torno da igrejinha de Santo Antônio, indicando o local mais adequado para implantar uma locomotiva.
O drone possibilita que operador defina o plano de voo da área de interesse de acordo com a necessidade do projeto. ‘‘É feito o plano de voo, reconhecimento da área, delimitamos a altura do voo e são feitas as fotos com as coordenadas dadas pelo trabalho topográfico’’, afirma o operador de drone, David Rodrigues.

Essas coordenadas são os pontos rastreados durante o levantamento topográfico como os que necessitam de uma maior precisão de imagens. Para David, o drone traz o diferencial de ultrapassar obstáculos físicos e alcançar uma visão ampla da área.
Este ano, segundo o engenheiro, o setor aliou o levantamento topográfico, uso do drone e, ainda, a análise de solo em um trabalho conjunto e otimizado para oferecer as melhores condições de executar projetos de obras públicas.
O drone é usado não só no setor topografia, como também o ambiental e de projetos, outro drone auxilia no setor de usinas, em uma ação inédita de modernização tecnológica dos serviços públicos. O investimento é em torno de R$ 18 mil, com recurso próprio do governo.
por Secom
da Secom

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarVeja Mais