Publicidade

Publicidade

DISFARÇA E FAZ DE CONTA QUE NADA ESTÁ ACONTECENDO…

0
Real Turismo
Há um fechar de olhos tão grande das chamadas autoridades responsáveis, que o dia em que houver a explosão – e ela vai haver, sem dúvida – não haverá qualquer dúvida de que a culpa é da omissão, do “faz de conta que não é conosco”, do “disfarça  como se nada estivesse acontecendo”. O volume de denúncias nos últimos anos tem sido imenso e, mesmo assim, nada de concreto é feito para resolver o problema, a não ser ações esporádicas, que nada resolvem e,  muitas vezes só pioram o problema. Contra as ações criminosas do grupo armado Liga dos Camponeses Pobres, que, dizendo que defende interesses dos pequenos agricultores sem terra, espalham o medo e o terror numa vasta região do Estado. nada é feito. Seus líderes são treinados em táticas de guerrilha; não temem ninguém, muito menos a polícia; quando pegos com a mão na massa, colocam mulheres e crianças à frente, como barreiras, esperando que alguma vítima possa ser usada como propaganda.
 
Só na região entre Ariquemes e Monte Negro, os ataques a propriedades são constantes. Há pelo menos 32 fazendas invadidas ou sob o risco de invasão, Já foram cumpridas 18 reintegrações de posse, que, aliás, nada resolvem. A retirada dos invasores é feita num dia e pouco depois lá estão eles de volta. Sabem que recomeçará todo um processo para nova reintegração, de meses, quando não anos.  Parte das terras tomadas na marra são entregues a meia dúzia de sem terra. O restante é vendido, como se os invasores fossem os verdadeiros donos da propriedade. Quem compra é enganado e, quando reclama, corre o risco de sofrer as consequências. Tudo isso é denunciado há longo tempo, mas ninguém toma qualquer atitude definitiva. E é bom que se diga: a polícia teme as ameaças e a violência da LCP. Imagine-se os pobres sem terra, sob o jugo dela!
 
 AMERON NA TV
 
A grande maioria dos magistrados, suas associações em nível nacional e nos Estados, desaprovam ações de prepotência de alguns juízes que exigem tratamento especial, como nos casos do que mandou prender uma policial de trânsito, no Rio e do outro, que deu voz de prisão a funcionários da TAM, porque chegou atrasado e não pôde embarcar num voo. Esse é um dos temas da entrevista  do presidente da Associação dos Magistrados de Rondônia (Ameron), juiz Francisco Borges, ao Candelária Debate. Vai ao ar daqui a pouco, neste sábado, 13h20, para todas as emissoras da TV Candelária/Record.
 
VIROU ZONA
 
Num dia, passageiros ficaram trancados numa aeronave estacionada no pátio do aeroporto de Porto Velho por duas horas, sem qualquer informação sobre o que estava acontecendo. No outro, duas horas de fila na hora de retirar a bagagem, porque estaria havendo uma operação da Receita Federal. Nunca ninguém explica nada e nem dá informação correta aos passageiros, como se eles não existissem. O desrespeito é enorme, num aeroporto que deveria ser muito bom, pelos poucos voos que têm, mas que é apenas uma sucessão de problemas…
 
FRENESI ANTIBOLSONARO
 
 Há uma correria, um frenesi entre os petistas e aliados, doidinhos para cassar o deputado Jair Bolsonaro por quebra de decoro. Ele realmente pisou na bola e merece um puxão de orelhas, por ter ofendido a deputada insípida, inodora e incolor Maria do Rosário. Mas a esquerda quer o mandato dele, por ser exatamente o que mais contesta, briga, chuta o balde e fala muitas verdades (logicamente que não essa em que exagerou!) contra as bobagens do politicamente correto do esquerdismo. Será que agora eles conseguirão calar o combativo Bolsanaro?
 
ROUBAR PODE!!!
 
 Estranhamente, não há qualquer frisson nas esquerdas para mandar para a cadeia os  assaltantes dos cofres da Petrobras. Ou os que formaram uma quadrilha para criar o Mensalão e foram tratados como heróis pela “cumpanheirada”. Bolsonaro é mesmo um chato e por vezes inconsequente. Mas não há um só fio de cabelo contra ele, nas questões envolvendo a roubalheira que a quadrilha política que assola o Brasil está envolvida. Ou seja, se fosse “cumpanheiro”, Bolsonaro poderia dizer o que quisesse. Como é inimigo…
 
CADÊ O ALVARÁ?
 
Agora só falta o alvará da Prefeitura. Ao menos é o que diz a Secretaria de Ação Social do Governo, ao anunciar para o próximo dia 20 a inauguração do Restaurante Popular da zona leste. A previsão é sejam servidas pelo menos mil refeições por dia. O frequentador pagará apenas 1 real. Os outros 5 reais e 50 centavos serão bancados pelo Estado. Tomara que não aconteça o mesmo que está ocorrendo com o Teatro Palácio das Artes, que ainda não pode receber espetáculos, porque não tem autorização do município para funcionar.
 
TOMARA QUE FUNCIONE
 
 Homens e máquinas do Dnit estão trabalhando na BR 364, em Mutum Paraná, onde parte da rodovia desapareceu. A ligação com o Acre está sendo feita apenas com meia pista, num trecho que já havia sido destruído  na enchente do primeiro semestre. A coisa é complicada, porque as chuvas não param e há risco de que a BR seja interrompida de novo, isolando os acrianos e os deixando sem contato por terra com o resto do país. A torcida é para que o Dnit consiga resolver o problema o mais rápido possível…
 
PERGUNTINHA
 
Quando os principais assuntos em Rondônia e no Brasil vão sair das páginas policiais e ocupar áreas mais amenas da mídia?

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarVeja Mais