Dois são presos em reintegração de posse em Porto Velho

Real Turismo

Uma reintegração de posse realizada na manhã desta quarta-feira (14) no Bairro Rio Madeira em Porto Velho resultou em duas pessoas presas, sendo que um delas saiu ferida. De acordo com a Polícia Militar (PM), ao chegar ao local, os invasores tentaram agredir o oficial de justiça e para conter a confusão, foi necessário o uso de arma de fogo. O local foi invadido há cerca de um ano.

De acordo com o proprietário, ele é dono do local há pelo menos 20 anos e a invasão ocorreu há cerca de um ano. Desde então, ele acionou a justiça para rever a posse da terra. A ordem de reintegração teria sido concedida há oito meses e está sendo cumprida nesta quarta.

O morador Francinei Menezes da Conceição reclama da ação da polícia e diz que não houve diálogo. “Chegaram e não falaram com ninguém. Foram derrubando tudo. Atiraram no meu cunhado e acertaram as pernas dele. Jogaram spray de pimenta do meu rosto. Eu sou pai de família. Quando entramos aqui era buraco, nós que aterramos. O povo que aterrou aqui. Há mais de dez anos e nunca fizeram nada nessa terra. Agora vou pra casa do meu irmão e a partir de amanhã a gente já começa a construir a casa de novo aqui. Daqui ninguém sai”, garante o morador.

“Estou aqui há três anos. Agora não tenho para onde ir. Eu moro aqui com meus três filhos e meu esposo. Agora vou para casa da minha irmã. Eles queriam passar o trator com meus filhos lá dentro. Aí tive que ficar na porta. Pedi pra eles esperarem para eu poder derrubar. Eu comprei o terreno e estou tentando conversar com o dono para tentar resolver”, diz a dona de Cione de Oliveira Campos.

A mãe de um dos ocupantes, Francinete Menezes, disse que o filho já estava no local há pelo menos dois anos e agora não tem para onde ir. “Meu filho foi preso porque não quis sair e ainda balearam meu cunhado. No feriado (7 de Setembro), a gente estava esperando mas não vieram. Hoje chegaram de surpresas e meu filho estava dormindo. Ele disse que não ia sair porque não tem para onde ir. Por isso ele foi levado para Central”, conta Francinete.

De acordo com a polícia, 20 famílias moravam no local. Outras haviam construído barracos, mas residiam. Quanto ao uso de arma de fogo, a polícia explica que um dos moradores pegou uma pedra e estava tentando agredir o oficial de justiça. Ao perceberem a ação foi necessário o uso da força e o homem só foi contido após ser atingindo na perna com um tiro. Ele foi encaminhado para Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Zona Leste. Outro que se negou a sair do local e estava atrapalhando os serviços também foi preso.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarVeja Mais