Publicidade

E A PF FAZ OUTRA OPERAÇÃO EM FIM DE MANDATO DE UM PREFEITO

Real Turismo

A boataria que andava circulando, sobre uma grande ação da Polícia Federal em Porto Velho, antes do Natal, se confirmou nessa segunda. E atingiu em cheio, novamente, uma administração em seus últimos dias de mandato, repetindo o que aconteceu com o então prefeito Roberto Sobrinho, ao fim do seu segundo governo. Nada menos que 73 federais agiram na Capital cumprindo prisões temporárias, ações de busca e apreensão e sete conduções coercitivas, daquelas em que o “convidado” não pode dizer não.  Os mandados foram cumpridos nos estados de São Paulo e Rondônia. As decisões da Justiça Federal, determinadas à PF, atingiram o irmão do prefeito Mauro Nazif, o então poderoso ex secretário Gilson Nazif, assim como determinou o afastamento do Presidente do Ipam, José Carlso Kouri e a proibição de cinco investigados frequentarem o instituto de previdência municipal. As denúncias são gravíssimas. Envolvem desvios de mais de 80 milhões de reais, segundo nota oficial da PF sobre a operação e, ainda, previa uma meta de pelo menos 250 milhões que poderiam ser afanados, para gastar na campanha política.

Muita gente já esperava uma ação da Polícia Federal.  Claro que, por parte das autoridades, ninguém contava nada. Mas sabe-se que houve quem viajou às pressas, para outras regiões do país, temendo que pudesse ter algum fundo de verdade na boataria. A única coisa concreta que havia ocorrido foi dias atrás, numa grande mobilização, mas da polícia local, na região de Ariquemes, Buritis e cidades próximas, à caça de assassinos e foragidos. Várias prisões foram feitas e outras buscas a criminosos continuam na pauta. E a PF? Na verdade, ela era esperada e, como sempre no amanhecer, ela fez outra ação, de grande porte, surpreendendo a todos, porque envolve a administração Mauro Nazif, a poucos dias de chegar ao fim. É mais um episódio lamentável, com denúncias graves a gestores públicos. Claro que haverá uma ampla investigação e todos poderão se defender. Mas que há um mau cheiro no ar, há sim. Mais uma vez…

O VOTO DO POVÃO

Dá para entender esse povo brasileiro? Pesquisa do Data Folha aponta que se a eleição presidencial fosse hoje, Lula estaria na frente da segunda colocada, a incompetente e sumida Marina Silva por mais de 10 pontos. Lula tem 25% de intenções de votos, depois de tudo o que fez, junto com seus “companheiros”, para destruir o país. Marina, que se esconde a cada crise (onde ela anda mesmo, nos últimos dois anos?), teria 15 por cento. Ficaria um pouco à frente de Aécio Neves, com 11 por cento. Jair Bolsonaro, da extrema direita, já é o quarto nas intenções de voto, com 9 por cento dos votos. Ou seja, não importa o quanto Lula seja acusado de roubos e desvios; não importa a roubalheira da Petrobras; o tríplex não explicado e tudo o mais: o povo ainda acha que ele é a melhor solução para o Brasil. No outro extremo, o militarista Bolsonaro e seu sonho de ditadura militar. No meio, dois incompetentes: Marina Silva e Aécio Neves. Pobre desse Brasil!

FECHANDO O CERCO

É bom que os criminosos dos grupos organizados – tanto nas cidades como no campo – ponham suas barbas de molho. A segurança pública do Estado está preparando uma série de ações que pretende, de uma vez por todas, atacar com força o centro desses grupos que têm causado pânico e terror em toda a Rondônia, incluindo regiões onde a produção do agronegócio (vital para a nossa economia), tem sofrido graves prejuízos. Sem alarde, colocando seus setores de investigação a funcionar, a polícia rondoniense já tem um quadro claro, incluindo grupos e nomes dos seus líderes, para que possa agir e reduzir drasticamente essas ações criminosas. Quem avisa, amigo é: O cerco está se fechando contra essa gente que está causando terror, principalmente no campo. Vem coisa grande por aí….

JOGO É JOGO!

Treino é treino, jogo é jogo! A máxima do futebol vale, claro, para a política. O prefeito eleito da Capital, Hildon Chaves, usou o discurso na campanha de que não faria a velha política. Mas há coisas que não têm como escapar. Por exemplo: o bom relacionamento com os vereadores. Nesse quesito, ele tem sido muito competente. Já tem ao seu lado grande número de edis, incluindo alguns que, teoricamente, estariam na oposição. No discurso de diplomação, Hildon mais uma vez foi diplomata com os membros da Câmara, que também recebiam seus diplomas. Disse, por exemplo, que a responsabilidade de resolver os graves problemas da Capital não é só dele. Para isso, sublinhou, vai precisar de todo o apoio da Câmara Municipal. Repartiu responsabilidades e acenou com uma convivência de mútuo respeito. Para um estreante na política, o Dr. Hildon está se saindo muito bem…

CADÊ O ECA?

O que fazer quando os filhos, recém saídos da infância, se tornam rebeldes e decidem partir para o crime? Como controlar um garoto de 15 anos, que não obedece a mãe, não quer saber de estudar e só pensa em viver com sua gangue, praticando ainda pequenos delitos, mas que amanhã, certamente, poderão se tornar crimes graves? Essas questões foram levadas por uma mãe, desesperada, à Delegacia de Polícia de Ouro Preto do Oeste. Serve como exemplo para milhares e milhares de casos, Brasil afora, idênticos e sem solução. A pobre mãe diz que tentou de tudo para que o menino, de apenas 15 anos, andasse na linha. Nada adiantou. Ele bebe, usa drogas, é agressivo e tentou agredi-la com um tijolo, dias atrás. Avisou que não vai mais estudar e que quer viver nas ruas, com seus amigos. O Estatuto da Criança e do Adolescente, é claro, tem teorias belas sobre casos assim, mas na prática não resolve nada. Saudades dos tempos em que criança tinha que obedecer seus pais. Pelo ECA (eca!), agora elas podem até denunciá-los. Uma calamidade!

CODINOMES

Angorá, Caju, Babel, Ferrari, Caranguejo, Babel, Primo. Tudo codinome. Como os bandidos, membros de quadrilhas organizadas, são conhecidos no mundo do crime. Nesse caso, contudo, há uma diferença. Esses codinomes estavam  na relação de propinas pagas a nomes muito conhecidos da política brasileira, que vão desde o Presidente Michel Temer, passando por Renan Calheiros, até o presidiário Eduardo Cunha. São dezenas de beneficiados. Por enquanto – e sublinhe-se, ao menos por enquanto – não apareceu o nome de nenhum rondoniense, dos que ainda têm mandato, na lista de denúncias dos executivos da Odebrecht. O único apelido (Seguro), segundo um dos diretores da empreiteira, seria de doações ao ex deputado federal Moreira Mendes. Também não é dito na denúncia que as doações a ele tenham sido ilegais. Mas está lá.

PERGUNTINHA

Será que o Judiciário, o Ministério Público e a mídia darão tanta divulgação às denúncias contra tucanos e peemedebistas como deram com os petistas e seus aliados, também envolvidos em denúncias graves?

 

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarVeja Mais