Compartilhe
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
08
ago
2020

Em nota, CINTA LARGA dizem que Polícia Federal disparou rajadas de tiros letais em direção aos indígenas

Foto de vídeo divulgado nas redes sociais, com uma policial jogando granada de um helicóptero em um local que parece ser a terra indígena Roosevelt.

A Associação das Organizações Indígenas do Povo Cinta Larga, divulgou nota de repúdio contra ação da Polícia Federal e do IBAMA, que ocorreu no último dia 17 em suas terras. Na nota eles alegam que foram coagidos por uma ação truculenta e os agentes do governo, usaram balas de borracha, gás lacrimogêneo, spray de pimenta e que rajadas de tiros letais foram disparadas em direção aos indígenas.

A nota cita que o Governo Federal sempre foi omisso em solucionar o problema que já perdura por mais de 20 anos no território indígena.

Ainda segunda relatado, os agentes em campo, não procuram saber a quem pertenciam as máquinas, e da mesma forma não tomaram conhecimento de quem era as pessoas que trabalhavam no local. Apenas chegaram e destruíram tudo, e que pareciam querer transmitir a seguinte mensagem: “Primeiro vamos queimar, depois a gente conversa”.

O maquinário queimado e destruído seria da Associação Indígena e os menos haviam iniciado o pagamento das prestações, sendo que os próprios indígenas teriam sidos humilhados e agredidos na operação, sendo que o mesmo teria ocorrido com trabalhadores que foram contratados pela Associação Indígena para desenvolver trabalhos de interesse da comunidade.

Um vídeo da suposta operação foi divulgado nas rede sociais, e consta agentes da polícia federal disparando com armas, e jogando granadas em uma suposta terra indígena, veja abaixo o vídeo e a nota na íntegra:

Abaixo é possível ler a nota na íntegra que é assinada pelo presidente da PATJAMAAJ, OITA MATINA CINTA LARGA FILHO SEMANI.

NOTA DE REPÚDIO DO POVO CINTA LARGA.

Notícias Relacionadas