Emater recebe homenagem pelos 44 anos de fundação e como empresa mais interiorizada em Rondônia

0
Real Turismo

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Rondônia (Emater) chega aos 44 anos de fundação com a transição completa de uma nova realidade jurídica e institucional: deixou de ser associação de direito privado, sem fim lucrativo, transformando-se em empresa pública estadual, de assistência técnica ao setor produtivo rural.

“O processo para transformação em empresa publica foi iniciado em 2013, por decisão do governador Confúcio Moura, e toda a transição para essa condição já foi realizada, com a definitiva implantação no dia 1º de janeiro deste ano”, disse o presidente da Emater, Luiz Gomes Furtado, na exposição em que traçou um histórico da empresa durante sessão solene na Assembleia Legislativa, na tarde dessa quinta-feira (3), atendendo a requerimento do deputado Cleiton Roque.

O evento também homenageou a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) pelos 40 anos de atuação em Rondônia, que tem sido “a irmã siamesa” da Emater, nas palavras do chefe-geral da instituição, César Augusto Domingues Teixeira.

“É impossível haver sucesso sem o trabalho conjunto das duas instituições. E muitas vezes a gente não tem ideia do tamanho disso porque estamos perdidos em nossa rotina, e não nos damos conta da vida que estamos dando a este estado. E esta sessão é um momento de a gente passar a pensar o que vem a ser essa vida. Embrapa 40 anos e Emater 44 anos são histórias que se confundem com a deste estado. São instituições precursoras. Homenageá-las é homenagear Rondônia”, declarou César Teixeira.

Empresa que executa a política agrícola definida pela Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), a Emater é a instituição do setor produtivo mais interiorizada em Rondônia, e a condição de empresa pública a inscreve como unidade orçamentária do estado, conforme o presidente Luiz Gomes.  “Mais à frente vamos pedir atenção especial para o orçamento da instituição”, disse aos deputados.

PROJETOS

Com um excelente Centro de Treinamento (Centrer) em Ouro Preto do Oeste, em uma área de 50 hectares,  auditório para 250 lugares, seis salas de aula grandes, alojamento para mais de 200 pessoas, refeitório com cozinha industrial  e unidades didáticas para capacitar técnicos e produtores rurais, a Emater está presente nos 52 municípios de Rondônia e na maioria dos distritos.

“É um Centro de Treinamento bastante completo, contando ainda com a unidade de bovinocultura, ovinocultura, de manejo de pastagem, horta orgânica, suinocultura e duas usinas de produção de nitrogênio”, elencou Luiz Gomes, citando ainda as unidades de café em parceria com a “irmã siamesa” e com a Ceplac, a Comissão Executiva da Lavoura Cacaueira, sem deixar de mencionar uma unidade de agroindústria.

O presidente da empresa que mais suporte oferece à agricultura familiar, disse que quase R$ 300 milhões em projetos financiados pelo Banco do Brasil e Banco da Amazônia (Basa), do último ano para cá, foram acompanhados pelos técnicos, enumerando como projetos prioritários os desenvolvidos para o fortalecimento da cafeicultura, em parceria com a Embrapa, além da produtividade leiteira, piscicultura e agroindústrias.

“Já temos regularizadas e em funcionamento mais de 500 agroindústrias com sistema de inspeção municipal e estadual, e tem delas com o sistema federal”, informou Luiz Gomes.

Ele ainda registrou a execução de projetos para criação de pequenos animais, de regularidade ambiental e o “fantástico” Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS).

“É a compra direta. Os produtores produzem, vendem e os alimentos são repassados, simultaneamente, a entidades beneficentes, que precisam realmente de alimentos”, disse o dirigente da Emater, destacando a respeito da regularidade ambiental que até o dia 5 de maio do próximo ano todos os produtores rurais devem ter o Cadastro Ambiental Rural (CAR), que a Emater está fazendo de forma gratuita para os produtores, mas precisa da ação conjunta de outras instituições para cumprir o prazo.

002

A Emater possui 1.129 empregados.  São 459 extensionistas de campo (veterinário, engenheiro agrônomo, engenheiro ambiental, zoólogo, técnico agrícola, biólogo, entre outros); 135 extensionistas sociais atuando nas comunidades rurais, 35 extensionistas de gestão,  57 técnicos de nível superior e 374 empregados nos setores administrativo e de apoio.  Além deles, para atender à legislação trabalhista, há 17 jovens aprendizes e nove empregados cedidos para outras instituições.

Para o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Maurão de Carvalho, a Emater e a Embrapa fortalecem a economia de Rondônia e honram muito o estado.  “Muito ainda podem continuar fazendo por Rondônia e pelo setor produtivo”, declarou, citando diversas linhas de crédito que podem ser acessadas e com as quais a Emater atende aos produtores familiares. Ele também entregou a Luiz Gomes e a José Arimatéia, adjunto da Emater, Voto de Louvor pelos serviços prestados.

“Sei que muitos extensionistas são a vida das associações de pequenos produtores rurais, se envolvem com grande entusiasmo, participam ativamente das atividades da produção familiar. Quero parabenizá-los, e acredito que se a sociedade civil organizada e os poderes constituídos darem as mãos em momento de dificuldade vamos abrir oportunidades, com trabalho e tecnologia. Temos avançado muito. Emater e Embrapa são fundamentais, podemos contornar as dificuldades.  Temos um potencial gigantesco pela frente”, disse o deputado Cleiton Roque, parabenizando as instituições.

“A homenagem recebida por duas instituições de reconhecido valor para o desenvolvimento de Rondônia, em simbiose com o crescimento do estado, torna ‘vivos e pulsantes’ os que trabalham na Emater e Embrapa”, disse César Teixeira, observando que isso só é possível devido à existência do homem do campo.

“Rondônia é um estado agrícola, extremamente dependente do trabalho do homem do campo. Cada um que tem sua propriedade é um empreendedor, um militante da causa da agricultura, e a eles devemos agradecer. São eles que nos fazem estar aqui, vivos e tão pulsantes, contribuindo para Rondônia”, reforçou.

CRONOLOGIA

1971 –  Fundada em 31 de agosto, com o nome de Associação de Crédito e Extensão Rural do Território Federal e Rondônia (Acar Rondônia)

1973 – Recebeu a certidão de filantropia, e até dezembro de 2014 era uma entidade filantrópica

1976 – Passou a ser denominada de Associação Técnica e de Extensão Rural (Aster Rondônia)

1984 – Com a política de se unificar o sistema de extensão rural no Brasil, passou a chamar o nome que tem hoje, Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater Rondônia)

1993 – Reconhecida como de utilidade publica

2013 – Por decisão do governo Confúcio Moura, inicia o processo de mudança da condição de associação de direito privado sem fim lucrativo para empresa pública, estadual, de assistência técnica

2015 – Em 1º de janeiro é implantada como empresa pública. Toda a transição para essa nova condição foi realizada


Fonte
Texto: Mara Paraguassu
Fotos: ALE/RO
Secom – Governo de Rondônia

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarVeja Mais