Compartilhe
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
05
abr
2020

Governo de Rondônia apoia pesquisa de servidora pública para doutorado

Pesquisa de enteropatógenos em indivíduos com HIV/Aids é tema de um projeto executado pela doutora Flávia Serrano Batista. A pesquisa foi realizada no Laboratório de Microbiologia da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e no Centro de Pesquisa em Medicina Tropical (Cepem).

O projeto teve total apoio da Fundação Rondônia de Amparo ao Desenvolvimento das Ações Científicas e Tecnológicas à Pesquisa (Fapero) e concorreu a três benefícios, um relacionado a bolsa de Iniciação Científica e o Programa Pesquisa para o SUS (PPSUS) e outro para execução na fase final do projeto.

Buscando sempre o conhecimento e avanço na área da pesquisa, a doutora Flávia Serrano Batista realizou o doutorado junto a Universidade Federal de Rondônia (Unir) no programa de Biologia Experimental (Pgbioexp).

“Como sou funcionária pública, eu era mestre e entendi que precisava avançar no doutorado. Precisávamos dar atenção maior aos pacientes com HIV/AIDS, porque esses pacientes sempre têm diarreia e não tinham uma efetiva informação do seu agravo em consequência dos exames que eram realizados, de forma a utilizar técnicas que limitam os resultados”, explica a doutora.

A pesquisa foi chefiada pela doutora Najla Benevides Matos, pesquisadora em Saúde Pública da Fiocruz. “Pesquisar os enteropatógenos significa pesquisar protozoários, helmintos, bactérias e vírus que causavam gastroenterites nos pacientes HIV/Aids. As diarreias estão presentes na vida dos pacientes e estão relacionadas com as questões socioeconômicas e ambientais que vivem”, esclarece.

Essa pesquisa foi contemplada com a bolsa de Iniciação Científica que consistiu na concessão de bolsas a dois alunos de graduação para atuarem no projeto de pesquisa por 24 meses, recebendo uma bolsa mensal da Capes de R$ 400,00.  A chamada tinha como objetivo oportunizar experiência em investigação científica aos alunos de graduação que demonstravam interesse e potencialidade para uma futura carreira acadêmica e profissional, oferecidos por instituições de ensino superior, públicas ou privadas localizadas no Estado de Rondônia, em todas as áreas do conhecimento.

“A bolsa de iniciação científica é um início na vida da ciência, é uma oportunidade para crescer como aluno de graduação. Permite aperfeiçoar o comprometimento sobre apresentações em público, estar constantemente estudando, se atualizando e em contato com técnicas que não se tem acesso na graduação. Além de ser muito importante a ajuda financeira, que nos ajuda no transporte e alimentação”, destaca a doutora Flávia.

Parte da pesquisa da doutora Flávia Serrano Batista foi publicada na Revista Brasileira de Medicina Tropical: Batista FS et al. – Cytoisospora belli in HIV/AIDS patient. Journal of the Brazilian Society of Tropical Medicine. Vol.:52, 2019.

Doutora Flávia Serrano Batista é biomédica do Centro de Pesquisa em Medicina Tropical da Secretária Estadual de Saúde (Sesau), e atua na área de Parasitologia, com ênfase em Parasitologia Clinica, atuando principalmente nos seguintes temas: Diagnóstico Laboratorial em Parasitologia, Protozoários Coccídeos e Vigilância Epidemiológica.

Fonte: Governo de Rondônia

Notícias Relacionadas