Governo de Rondônia firma pacto com Tribunal de Justiça para recuperação de tributos

0
Real Turismo

O governo de Rondônia e o Tribunal de Justiça firmaram, nesta quarta-feira (9), um pacto para atuar em conjunto na recuperação de tributos estaduais. Atualmente, a inadimplência é superior a R$ 6,6 bilhões. A ministra do Superior Tribunal de Justiça Fátima Nancy Andrighi apresentou ao governador Confúcio Moura um programa desenvolvido pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que é realizado em mutirão e que apresentou resultados positivos nos estados em que foi implantado. A audiência aconteceu no Palácio Rio Madeira, em Porto Velho.

A proposta foi elogiada pelo governador. Ele disse que o momento pelo qual passa o país é propício para a realização desta tarefa. Ficou acordado que o estado providenciará a estrutura para que o programa seja executado em Porto Velho em até 50 dias.

A ministra Nancy  Andrighi fez uma exposição do programa que, no âmbito do CNJ é conhecido como Governança Diferenciada de Execuções Fiscais, mas pode ter outro nome em cada estado.

A proposta é oferecer condições e vantagens para quem está inadimplente com os tributos estaduais. Segundo a ministra, o povo brasileiro quer pagar o que deve, mas precisa que sejam oferecidas condições para isto. Nancy  Andrighi citou a burocracia como fator que torna o recebimento das dívidas mais difícil  e que leva, muitas das vezes, à prescrição.

O grande devedor, pessoa física ou jurídica, segundo a ministra, merece atenção diferenciada. “Muitos deles sabem até onde vai o alcance da justiça. Eles aguardam até a prescrição da dívida”, exemplificou.

ILUMINADO

Confúcio Moura saudou a proposta da ministra como um gesto iluminado, diante dos problemas econômicos do país. Ele explicou que há estados com grandes dificuldades para pagar salários e que a inadimplência contribui para este problema.

O governador disse à ministra que há muitas multas ambientais não pagas e acrescentou que a inadimplência nas multas devidas ao Detran chega a 55%. O mutirão do CNJ, proposta pela ministra Nancy Andrighi chega, conforme Confúcio, numa hora feliz. “Pode contar conosco”, garantiu.

O mutirão para a recuperação de tributos proposto pela ministra oferece estrutura para atender bem a quem quer quitar os débitos. O trabalho é oferecido também em finais de semana para dar oportunidade a quem não tem tempo no horário comercial. Juízes são disponibilizados para esclarecer dúvidas.

DIVULGAÇÃO

O atrativo, conforme a ministra, é o benefício oferecido aos inadimplentes. Além disto, o sucesso da empreitada é reforçado por uma ampla campanha publicitária que informa as vantagens do pagamento. Ela esclareceu que fundamental que o contribuinte saia do ambiente já com a declaração de que está com o nome limpo.

O desembargador Rowilson Teixeira, presidente do Tribunal de Justiça, afirmou que, em geral, a burocracia facilita a vida do mau pagador, que se aproveita para protelar a quitação e esperar pela prescrição. “A proposta do mutirão”, disse ele, “é um gesto de boa vontade que vem da esfera federal e que deve ser aproveitada”.

O secretário estadual de Finanças, Wagner Garcia, apresentou as ações governamentais voltadas para a execução fiscal, que foram elogiadas pela ministra. Ele acentuou que Rondônia trabalha com bases cadastrais confiáveis.

Também participaram do encontro o procurador-geral do estado, Juraci Jorge; o procurador-geral do município de Porto Velho, Carlos Dobbis; o corregedor de Justiça do estado, Daniel Lagos; e os juízes de execuções fiscais Fabíola Cristina e Amauri Lemes.


Fonte
Texto: Nonato Cruz
Fotos: Bruno Corsino
Secom – Governo de Rondônia

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarVeja Mais