Informação a Serviço da População.

Itapuã do Oeste reforça economia com mais duas novas agroindústrias

Distante a 105 quilômetros de Porto Velho, o município de Itapuã do Oeste ganhou nesta terça-feira (7) duas agroindústrias de leite. Dezenas de pequenos produtores foram ao evento para prestigiar os donos dos empreendimentos. O município, que já foi conhecido pelas madeireiras e vastas plantações de soja, está se tornando agora um grande produtor de alimentos.

“Meu sonho está realizado. Tenho meu negócio e posso ajudar aos pequenos pecuaristas”, disse Edmilson Costa, dono do Laticínio Primavera, onde a festa aconteceu.

O laticínio de Edmilson está localizando na Linha General Carneiro. Nas instalações novas e com assistência da Empresa Estadual Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) ele produz queijos variados, achocolatados, manteiga, entre outros produtos.

Publicidade

Publicidade

A indústria utiliza 1.400 litros do leite que vêm das propriedades vizinhas todos os dias. Mas a capacidade é para quatro mil litros. Assim, além da renda familiar para ele, ganham também os pecuaristas da região porque vendem para ele a produção do rebanho leiteiro. Todos são beneficiados.

O governador Confúcio Moura fez questão de ir à inauguração acompanhado do vice-governador Daniel Pereira, do prefeito Moisés Carvalho, vereadores locais, do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Maurão de Carvalho; deputado Adelino Follador, da secretária Mari Braganhol, adjunta da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri); e do chefe da Emater, Chiquinho da Emater.

Todos, segundo Confúcio, foram levar apoio à agroindústria de Itapuã do Oeste. “É como uma bênção que damos a vocês”, disse em meio a aplausos.

O deputado Adelino Follador explicou a razão do entusiasmo do governador. É que, quando prefeito de Ariquemes, Confúcio iniciou a guinada de apoio oficial para as agroindústrias familiares, modalidade que se espalhou pelo estado. Estes empreendimentos sustentam as microrregiões produzindo, gerando renda e emprego.

HOMEM DO CAMPO

“O homem do campo deve ser atendido em todas as suas demandas”, defendeu Daniel Pereira, que também foi agricultor, completando que “apoio não vai faltar”. O deputado Maurão de Carvalho garantiu que vai destinar emenda parlamentar para a associação dos produtores da região, Adelino Follador, assegurou emendas para a aquisição de equipamentos agrícolas.

Com tanta atenção, o prefeito Moisés Cavalheiro comemorou. “Não é todo dia que isto acontece”, disse em relação aos visitantes. Ele declarou que Confúcio Moura é amigo de Itapuã do Oeste, e que tem cumprido todas as promessas feitas para melhorar o município.

Pequenas indústrias, conduzidas por famílias, como o Laticínio Conquista, segundo Confúcio Moura, representam muito para o município. Estes negócios, segundo o governador, são a saída para a crise pela qual passa o País. “A prefeitura e o governo não conseguem mais contratar. A alternativa é trabalhar por conta própria. Trocar o emprego pelo trabalho”, recomendou.

Como exemplo de regiões problemáticas, ele citou municípios do Nordeste, onde não chove há mais de seis meses. “Aqui a terra é boa, e chuva não falta. As coisas têm que dá certo”, citou como receita para o desenvolvimento.

LUTA

Conquista, o nome dado à agroindústria de Edmilson Costa, resume a final de uma luta travada por ele nos últimos dois anos para concluir o negócio. Filho de José Costa, um queijeiro famoso no Paraná, Edmilson admite que ganhou de presente muitas técnicas do especialista. A tecnologia ele transferiu para a esposa, Lúcia Ferreira Costa. Enquanto ele batalhou para superar os entraves burocráticos do negócio, ela continuou à frente da produção.

“Houve momentos de muito sufoco, tudo dava errado”, lembrou Edmilson, reforçando que a partir do momento em que o pessoal da Emater soube, tudo mudou. Ele garantiu que agora tem passagem livre na Emater e na Seagri.

A outra agroindústria inaugurada, na Linha 627, foi a Primavera, da viúva Zilma Camilo Siqueira, nas a comitiva não chegou a visitá-la.

O pequeno negócio utiliza mão de obra da própria Zilma, da filha, genro e netos. “Por enquanto só produzimos queijo, cerca de 150 quilos diários. Mas vamos crescer mais”, prevê a dona do laticínio, que foi incentivada pelo governador Confúcio Moura a seguir investindo no segmento.

Na ocasião, a Seagri entregou um trator para a prefeitura do município, que será utilizado pelas associações de produtores rurais nas atividades do campo.

Centranet
Veja mais
Comentários
Carregando...