Publicidade

Publicidade

Publicidade

Jovem que chorou no velório do ex diz à polícia que mandou matá-lo após ser ameaçada, em RO

Vanessa Amaral, de 19 anos, confessou que planejou a morte de Mateus da Silva, de 22 anos, após ele dizer que a mataria a marretadas. Jovem e outros três homens foram presos em Buritis.

0
Real Turismo

A Polícia Civil de Buritis (RO) divulgou nesta terça-feira (30) que a jovem Vanessa Amaral da Cruz, de 19 anos, confessou ter mandado matar o ex-namorado Mateus da Silva Modesto, de 22 anos. A confissão ocorreu após Vanessa ser retirada aos prantos do velório. Ela afirmou aos policiais que planejou o crime depois de ter sido ameaçada de morte pelo ex-companheiro.

Vanessa e outros dois homens foram presos por envolvimento no homicídio. O dono da arma utilizada pelos infratores também foi preso. O crime aconteceu no último dia 25 de julho, quando Vanessa foi até a casa de Mateus, no Setor 6, e o chamou para conversar na frente do imóvel.

Momentos depois, dois suspeitos surgiram em uma motocicleta, anunciaram um assalto, se apossaram da bolsa de Vanessa e o celular de Mateus, e em seguida efetuaram dois tiros contra o jovem, que foi atingido no tórax e na cabeça.

O Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) foi solicitado para prestar os primeiros socorros, mas o jovem morreu no local. Através das informações repassadas por Vanessa à Polícia Militar (PM) no local, o caso foi registrado inicialmente como latrocínio.

Reviravolta no caso

Ao G1, o delegado Lucas Torres, horas depois do crime, comentou que agentes do Serviço de Investigação e Captura (Sevic) iniciaram as diligências e foram até o velório da vítima, onde encontraram Vanessa chorando ao lado da mãe de Mateus.

Por ser a única testemunha, ela foi intimada e levada até a delegacia para ser interrogada. Mas durante o depoimento, a jovem começou a entrar em contradição nas versões apresentadas.

“Na delegacia, ela começou a entrar em contradições cada vez mais, até que confessou que havia planejado o crime e tinha persuadido um rapaz para cometer o homicídio simulando um roubo e que tinha combinado de chamar a vítima para a frente da casa”, disse o delegado.

Após confessar o crime e ser presa em flagrante, Vanessa ainda relatou que quem teria praticado o homicídio foi o amigo dela, Dione Teixeira de Souza, de 20 anos. Na sexta-feira (26), a polícia iniciou as buscas pelo infrator e conseguiu localizá-lo no distrito de Jacinópolis, a 70 quilômetros de Buritis.

Conforme o delegado, Dione foi levado a delegacia, onde afirmou que conduzia a motocicleta no momento do crime e que o responsável por efetuar os disparos foi Elvislan Welto, de 24 anos, que também mora no distrito de Jacinópolis. Os policiais retornaram a localidade e prenderam o terceiro envolvido no sábado (27).

“Junto com o Elvislan, a gente ainda conseguiu conduzir o rapaz que emprestou a moto para os infratores irem ao local do crime, mas esse foi liberado após ser ouvido. Já o rapaz que supostamente é o dono da arma e havia emprestado para o Elvislan praticar o crime, ele foi preso por porte ilegal de arma”, explicou Lucas Torres.

Motivação

Familiares da vítima disseram à Polícia Civil que o relacionamento de Mateus e Vanessa era bastante conturbado, que frequentemente eles terminavam e reatavam o namoro. A jovem disse no depoimento que ele não aceitava o término da relação.

De acordo com o delegado, a jovem contou que decidiu matar Mateus após ele dizer que a mataria da mesma forma que uma mulher havia sido assassinada em Buritis recentemente. Joelma Santos de Jesus, de 23 anos, foi morta com golpes de marreta na cabeça e enterrada em um matagal pelo próprio marido.

“Segundo o que a Vanessa disse em depoimento, o Mateus estava lhe ameaçando frequentemente de matá-la. A última ameaça dele foi avisando pra ela sobre a mulher que morreu com golpes de marretas, que faria o mesmo com ela, então ela disse que depois dessa ameaça, ficou com muito medo e falou com o Dione, que o Mateus queria matá-la e pediu ajuda a ele para matá-lo, até que conseguiu convencê-lo”, citou o delegado.

Para a Polícia, a versão apresentada por Vanessa não necessariamente é verdadeira, pois ela em nenhum momento chegou a ir na delegacia para registrar alguma ocorrência de ameaça ou pedir medida protetiva de urgência. A polícia também apurou que a infratora tentou convencer outras pessoas para praticar o crime.

“A Vanessa ainda tentou cooptar outras pessoas para matarem o Mateus, o Dione foi o que aceitou, ela tinha falado com ao menos outras duas pessoas que o Mateus estava lhe ameaçando e que queria matá-lo. Ela é uma pessoa bem manipuladora e o Dione foi o que caiu na conversa dela”, citou Lucas.

De acordo com a Polícia, Vanessa, Dione e Elvislan tiveram a prisão em flagrante convertidas em prisão preventiva e devem ficar presos até o julgamento do caso. Ainda segundo a Polícia, cerca de 10 pessoas já foram ouvidas durante as investigações e o inquérito deve ser concluído na quarta-feira (31).

por G1/RO
da G1/RO

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarVeja Mais