Compartilhe
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
11
abr
2021

Lixo em ruas e buracos causam transtornos a moradores em RO

Lixos despejados, recentemente, em ruas e buracos têm causado transtornos a moradores de bairros periféricos de Vilhena (RO), cidade do Cone Sul. Um dos locais utilizados para o despejo de entulhos é uma cratera com cerca de 10 metros de profundidade localizada na Linha 135, próxima ao conjunto habitacional União. O problema também se repete nos bairros Parque Cidade Jardim I e São Jerônimo, que convivem com o lixo despejado em um buraco formado pela água escoada por uma tubulação que interliga bairros da região.

Com as fortes chuvas que têm caído no município nos últimos dias, a cratera da Linha 135 aumentou e começou a invadir a estrada que dá acesso ao setor chacareiro.  Na quarta-feira (6), um caminhão caiu dentro do buraco. O motorista foi descarregar entulhos de construção e o chão acabou cedendo devido à erosão. O condutor não se feriu, pois saiu antes de o veículo cair na cratera. Um guincho teve que ser chamado para retirá-lo do buraco.

Segundo moradores da região, além do lixo despejado na cratera, é comum pessoas de carro e até de carroça deixarem entulhos na beira da estrada, situação também enfrentada por moradores do bairro Parque Cidade Jardim I, que convivem com resíduos descartados por quem mora em outras áreas do município.

No bairro Parque Cidade Jardim I, o lixo é deixado em um buraco formado pela água que escoa por uma tubulação que interliga os bairros Cristo Rei, Jardim Primavera e Marcos Freire. Núbia Nestor mora no local há seis anos e se revolta com o descaso. “Além do lixo, jogam bicho morto e daí imagina à noite você jantando e o cheiro de carniça. Já bati boca, já briguei, mas não adianta mais e estamos aí a Deus dará”, desabafa.

O pedreiro Adenor Ferreira Meira é outro morador insatisfeito. A casa dele fica do outro lado do buraco, no bairro São Jerônimo. Além do mau cheiro do lixo despejado na cratera, ele tem medo que o imóvel onde mora seja ainda mais atingido pelo problema, uma vez que as paredes já apresentam rachaduras. “Ando com medo, eu e minha vizinhança toda, porque é uma calamidade. Quando chove forte, não podemos nem sair de casa, temos que ficar presos”, diz.

A Secretaria de Obras do município iniciou um serviço temporário na Linha 135 para tentar conter a erosão no local. Por telefone, o secretário de Obras, Antônio Marcelo de Oliveira, informou que os dois buracos devem ser aterrados nesta semana.

Fonte:G1/RO

Notícias Relacionadas