Compartilhe
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
19
nov
2020

MAIS UMA VERGONHA: PONTE DO MADEIRA SÓ DAQUI A UM ANO

Às vezes dá até vontade de desistir, porque é inacreditável o que fazem órgãos públicos conosco, pobres mortais e trabalhadores brasileiros. Repetem tanto as mesmas mutretagens, os mesmos erros, as mesmas sacanagens, que fica claro que está se lixando mesmo para o cidadão comum. O caso do Dnit e sua incompetência absurda, mais uma vez atinge Rondônia em cheio. Não basta a vergonha das BRs atiradas à própria sorte, formadas por crateras lunares e sangue dos acidentados e mortos; não basta a vergonha dos viadutos de Porto Velho, monumentos à incompetência e falta de vergonha na cara. Agora, até uma obra a poucos metros de estar pronta, também vai demorar mais um ano para ser entregue à comunidade. Entra para o rol das obras fantasmas, sem utilidade alguma, mesmo com um pequeno pedaço a ser concluído. Com custo estimado em 200 milhões de reais e com o preço final já ultrapassando os 280 milhões (40% a mais do preço original), a ponte sobre o rio Madeira está pronta, mas não está pronta. Dá prá entender uma loucura dessas? Faltam pouco mais de 100 metros das cabeceiras, porque elas não podem ser construídas enquanto os moradores que já deviam ter sido retirados há um ano, estiverem lá, no mesmo lugar.

A culpa, é claro, não é deles, moradores. É da incompetência do Dnit, que viu mais uma empresa vencedora de suas concorrências, que parecem amaldiçoadas – porque quem ganha a licitação cai fora no meio do trabalho – desistir de construir um conjunto habitacional do lado de lá do rio. As 162 casas são ainda obras de ficção. A ponte está pronta, mas vai ficar um ano do jeito que está, enquanto o conjunto de casas não for construído. Agora, o trechinho da ponte que falta atrasará a obra até meio do ano que vem. E ninguém, mas ninguém, mesmo para vai pra cadeia. Vergonha!

NAO É ILEGAL, MAS…

Parece inacreditável, mas infelizmente não é. A Procuradoria Geral do Estado utiliza vários PMs por dia, para cuidar da segurança do seu prédio, como se vigilantes fossem e para cuidar dos procuradores. Enquanto a população, que paga seus impostos e clama por segurança, fica vendo essas mordomias (a medida não é ilegal, mas certamente não é também um exemplo para a coletividade), faltam policiais nas ruas. Mas tem coisa pior: orientação vinda de procuradores, sugere que outros secretários também utilizem a PM da mesma forma. Não é um abuso?

480 A ZERO

Gilson Galvão, supervisor de recepção e atendimento da Autovema, é daqueles porto velhenses que não aguentam mais ver sua cidade tão abandonada. E sempre que fala na situação da BR 364, se irrita mais ainda. Além da crise dos viadutos, ele reclama muito sobre a falta de iluminação no trecho entre o Trevo do Roque e Bairro Novo, perto do Tênis Clube. Existem, só naquele pedaço da BR, nada menos do que 480 postes. E neles, NENHUMA lâmpada. Não tem razão de ser as críticas do Galvão?

LUZ DE VELAS

Sem ver qualquer solução de parte do Dnit ou de alguma autoridade, Gilson Galvão quer lançar a ideia de que deve-se iluminar a BR com velas. Pura ironia e deboche, mas uma forma de pressionar para que essa escuridão acabe de vez. Ele diz que vai pedir apoio das empresas ao longo da BR para apagar suas luzes à noite e também aos moradores. Deixar tudo às escuras e daí só acender as 480 velas. Pode ser que, se for uma para cada santo, o assunto se resolva…

E O BERON?

Ninguém sabe, ninguém viu. Nesta semana, estava programada uma reunião em Brasília, no Banco Central, para tratar da dívida do Beron. O secretário da Sefin, Benedito Alves, esteve por lá. Depois do encontro, silêncio total. Nenhuma informação sequer foi divulgada. Havia esperança de que surgisse um acordo que pudesse até interromper o pagamento da pornográfica dívida, que os rondonienses pagam há anos e por muitos anos futuros terão que pagar. Como ninguém abriu a boca para falar nada, o que se supõe é que o acordo fracassou. Informação zero sobre o assunto…

BATEU DURO

Enquanto isso, no Senado, Ivo Cassol descia a lenha na cobrança da dívida e nos que encheram seus bolsos com dinheiro do Beron, sem pagar o que deviam. Disse: “Os políticos do passado roubaram, desviaram, se locupletaram com o dinheiro do Beron com os financiamentos fraudulentos, impagáveis”. Foi mais longe: “o Beron foi submetido pelo Banco Central ao RAET entre fevereiro de 1995 a agosto de 1998, quando a dívida  cresceu de  48 milhões para mais de  548 milhões”. E concluiu: “não queremos esmolas, o que queremos é a revisão da dívida e pagar aquilo que devemos”. Precisa dizer mais?

MAIS UMA TURBINA

A usina de Santo já está autorizada para colocar em operação mais uma das suas turbinas gigantescas. É a 13ª das 24 que estarão funcionando até dezembro deste ano. No final de 2015, quando estiver operando plenamente, a usina terá capacidade para gerar 3.150,4 MegaWats, equivalente ao consumo de mais de 40 milhões de pessoas. A usina iniciou a operação em março de 2012, nove meses antes do cronograma original. E vai estar funcionando com toda a força também antes do previsto.

 PERGUNTINHA

 Se todos os órgãos públicos chamarem PMs para fazer a segurança, quantos restarão para ficar nas ruas, atendendo a população?

Notícias Relacionadas