Publicidade

Publicidade

Ministério Público instaura inquérito para apurar ato de Improbidade Administrativa do Vice-Prefeito de Espigão do Oeste.

1
Real Turismo

roney_CapaA 2ª Promotoria de Justiça de Espigão do Oeste, instaurou inquérito civil público para apurar ato de improbidade administrativa decorrente de pagamento de salário ao servidor público municipal João Bueno da Fonseca (Vice-Prefeito), sem a devida contraprestação do serviço.

Foi requisitado que um oficial de diligências fosse até a Prefeitura, no local onde deveria funcionar o gabinete do Vice-Prefeito, a fim de verificar se no recinto existia (móveis, equipamentos de informática, servidores ou assessores), além de perguntar aos servidores daquele recinto sobre a rotina laboral do Vice-Prefeito.

No dia 04 de maio de 2015, João Bueno compareceu ao Ministério Público para declarar que:

“Que é vice prefeito deste Município e seu mandato eletivo, juntamente com o Prefeito Célio Renato da Silveira, iniciou-se no ano de 2009; que atualmente encontram-se no 2º mandato (2013-2016); Que não tem nenhuma pasta/secretaria específica, nem exerce nenhuma outra atribuição, desde o primeiro mandato, que não seja a de vice prefeito; Que desde o primeiro mandato não ocupa nenhuma sala na Prefeitura, porém chegou a ocupar um gabinete, por aproximadamente 03 (três) meses, no primeiro mandato; Que também não tem assessores nem horário fixo de trabalho; Que segundo o declarante, a função de vice prefeito não exige que ele compareça todos os dias na sede da Prefeitura; Que sua função é estar à disposição do município; afirma que visita algumas secretarias, está sempre na rua, participa de alguns eventos e reuniões (associações); Não desempenha nenhuma função específica ou missão designada pelo Prefeito; Que nunca substituiu o Prefeito em nenhum impedimento ou férias daquele; Que o Prefeito nunca o procurou para delegar funções ou para que o declarante assumisse a Prefeitura em eventual ausência do Chefe do Poder Executivo; O declarante afirma que no final de 2012 teve um desentendimento com o Prefeito; Que um pouco antes deste acontecimento, o Prefeito e o declarante estavam traçando as metas para o 2º mandato, no entanto, com o desentendimento, não dialogaram mais; Inclusive, segundo o declarante, seu Partido (PT) chegou a procurar o Prefeito para verificar em que poderiam contribuir, porém o Prefeito foi categórico ao afirmar para o Presidente do Partido, José Augustinho Matos, que não aceitaria o declarante em seu Gabinete. Que o declarante recebe normalmente sua remuneração; Que o declarante conclui dizendo que está vinte e quatro horas no Município e à disposição, caso o Prefeito precise dele”.

Em março de 2015 o blog do Portal Espigão, fez a uma postagem onde demostrava que o Vice-Prefeito teria recebido mais de R$ 195 mil sem colocar os pés na Prefeitura.

A mídia tem feito o papel dela, e o Ministério Público também, espera-se agora que a população faça o mesmo nas próximas eleições.

  1. anapaula Diz

    PREFEITO QUEM VÊ CARA NÃO VÊ CORAÇÃO!
    O VICE-PREFEITO ESTA SOFRENDO COITADO SUPORTAR UMA CARGA DESSA A CARCAÇA NÃO AGUENTA!!!!!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarVeja Mais