Publicidade

MP ajuíza ação contra o Estado para corrigir irregularidades em hospital público de Buritis, RO

Inspeções na unidade detectaram falta de serviços de raio-x e ultrassonografia, além de várias outras irregularidades. Obras de reforma da unidade estão paralisadas há quatro anos.

0
Real Turismo

O Ministério Público de Rondônia (MP-RO) ajuizou ação civil pública com pedido de liminar contra o Governo do Estado para que sejam corrigidas as irregularidades encontradas no Hospital Regional de Buritis (RO), a cerca de 340 quilômetros de Porto Velho.

Na ação, o MP-RO solicita a entrega de aparelhos de raio-x e ultrassonografia para retornar as atividades na unidade, que estão indisponíveis atualmente. Além da apresentação de um cronograma para a finalização das obras de ampliação e reforma do prédio do hospital, que estão paralisadas desde maio de 2014.

Segundo a promotoria de Justiça de Buritis, as irregularidades infraestruturais do hospital foram constatadas após inspeções da Vigilância Sanitária Estadual, Conselho Municipal de Saúde e Conselho Regional de Medicina (Cremero). As falhas foram informadas ao poder público, mas o Estado não tomou providências.

Consta na ação civil pública que toda a unidade hospitalar está em desacordo com a resolução do Conselho Federal de Medicina. O MP apurou que a estrutura do prédio apresenta infiltrações, a existência de lixeiras irregulares, que o local possui apenas um banheiro com acessibilidade e que não há serviços de raio-x e ultrassonografia.

Ainda segundo o MP-RO, pacientes de baixa, média e alta complexidade precisam ser encaminhados para Ariquemes (RO) ou Porto Velho por conta da falta de médicos cirurgiões no hospital, locais que possuem alta demanda.

Diante do problema detectado, o MP ajuizou a ação com pedido de concessão de medida liminar para que o Estado retome os serviços de raio-x e ultrassonografia na unidade. Além da conclusão da obra de baritagem da sala que receberá os equipamentos e a entrega dos aparelhos.

O Hospital de Buritis funciona desde 2001 e atende cerca de 120 pacientes por dia, mesmo possuindo uma ampla estrutura e presta atendimento para moradores de Campo Novo de Rondônia (RO) e dos distritos de Rio Branco, Jacinópolis, Três Coqueiros e Rio Pardo.

Na ação, a promotoria também requereu a finalização da obra de ampliação e reforma do hospital, implantação de informatização nos sistemas de prontuários, aquisição de desfibrilador, construção de banheiros com acessibilidade, carrinho de anestesia para o centro cirúrgico, substituição de móveis e equipamentos obsoletos e possuir ambulâncias de suporte básico.

G1 tentou entrar em contato com a Secretaria de Estado da Saúde para verificar se a pasta foi notificada quanto à ação civil pública e quais os procedimentos a serem adotadas para cumprir com as medidas requeridas, mas não obteve resposta. A direção do hospital de Buritis também não retornou as ligações.

por G1/RO
da G1/RO

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarVeja Mais