Publicidade

Publicidade

O desafio da energia renovável, barata e bem distribuída no Estado de Rondônia

Nos últimos anos, a construção de duas usinas – Santo Antônio e Jirau – geraram juntas 7.318 MW de energia para o restante do Brasil.

0
Real Turismo

O estado de Rondônia é rico em florestas, minérios e, principalmente, abençoado por uma imensa rede de água doce, capitaneada pelo nosso rio Madeira, um dos mais importantes da bacia amazônica. O resultado da fartura de água, além da manutenção de territórios intactos, foi também o aproveitamento hidrelétrico das nossas águas. Nos últimos anos, a construção de duas usinas – Santo Antônio e Jirau – geraram juntas 7.318 MW de energia para o restante do Brasil. Oferecemos nossos rios, a nossa sagrada mão de obra e, em contrapartida, deveríamos ter, pelo menos, o benefício de uma conta de luz mais barata, especialmente, para o consumidor de baixa renda.

Só que não é isso o que acontece. Depois do processo de privatização da empresa, que distribui a energia, o consumidor do estado convive com a precarização dos serviços e pior, o aumento da conta de luz.

Debatemos esse assunto em Brasília, no Senado e na Câmara Federal, onde trabalhamos para encontrar alternativas. No Senado, por exemplo, em audiência pública na Comissão de Infraestrutura, discutimos a portabilidade das contas, o que aumentaria a concorrência e obrigaria o atual monopólio a melhorar os serviços e, principalmente, poderia trazer reflexos imediatos na conta de luz. O mercado livre, contemplado na PEC da Liberdade Econômica, pode ser sim, uma das alternativas para enfrentarmos o problema da Energisa em Rondônia.

Recentemente, acompanhei na Câmara, na Comissão de Minas e Energia, o debate sobre um projeto, de outra deputada rondonienses, que pede a suspensão do aumento abusivo da tarifa de energia no estado. Vale lembrar que a empresa, assim que assumiu a distribuição da energia, anunciou um aumento de 27,12% na tarifa. Isso foi em dezembro do ano passado. Depois da união de esforços e até briga na justiça, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou uma redução de 7,4% na tarifa de energia de Rondônia. Ainda assim, a correção no valor da conta de luz ficou em torno 20%.

Devemos lembrar que não é somente o aumento da conta que atinge o consumidor. Recebemos, diariamente, inúmeras reclamações e denúncias de consumidores que discordam da aferição nas contas, cortes indevidos nos fins de semana e até troca de medidores sem aviso prévio, o que evidentemente, contraria a lei.

Reforço que, a intenção é discutir o problema com clareza, afinal, produzimos muito mais do que consumimos em Rondônia e distribuímos essa energia para todo o País. O justo, pelo menos, já que ajudamos o Brasil a consumir energia renovável, seria termos alguma compensação, especialmente, para o consumidor de baixa renda. O assunto vai ser debatido até que tenhamos uma solução que atenda o principal interessado: o consumidor de Rondônia.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarVeja Mais