Compartilhe
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
08
abr
2021

O QUE TEM A VER AS QUEIMADAS COM A ESCOLHA NAS URNAS?

Em várias cidades, se ouve muitas críticas às administrações, aos políticos, à ineficiência, à falta de realizações. É muito mais fácil viver de críticas do que ajudar a resolver os problemas. Em muitas ruas, as calçadas ou não existem ou estão destruídas, mas os moradores que esquecem seus compromissos com a cidade e adoram transferir toda a responsabilidade por seu bairro sujo e feio aos administradores. Lixo nas ruas é comum, principalmente em Porto Velho. Caminhões e carros particulares jogam sujeira no bairro dos outros, como se isso não fosse não um crime e um acinte moral. Há os que vivem berrando contra a Eletrobras  (em 95% dos casos com razão), mas muitos fazem “gatos”, ludibriando o consumo, fazendo com que os outros paguem pela energia que ele consumiu. E por aí vai. A falta de respeito de muita gente com sua comunidade, com sua cidade e com seu Estado, se acentua nessa época do ano. Ignorando todos os pedidos, clamores, ameaças de multas e prisão, muitos rondonienses transformam suas cidades em centros de produção de fumaça, com queimadas criminosas. Essa gente, que está se lixando para os outros, certamente faz parte daqueles que mais exigem serviços públicos, que mais criticam, que mais se acham no direito de reivindicar. Na hora de cumprir suas obrigações, ai a realidade é essa: não estão nem aí para nada…

É assim também com a eleição. Esse é o tipo de gente que negocia seu voto,  que está pouco preocupado em eleger gente decente, gente realmente preocupada com a coletividade. A analogia é óbvia. Quando as coisas não dão certo, porque eles ajudaram a eleger corruptos, criminosos, sacanas, safados, daí querem ir para a rua berrar contra os governos. Ninguém gosta de ouvir essas verdades, mas de vez em quando, é preciso se falar as coisas com clareza…

 

 

A MATRIARCA

Dona Vilma Testoni é a matriarca da família. Seus filhos não tomam decisões importantes na vida, sem ouvi-la e sem seguir os seus conselhos. Como ela é hoje mãe e pai, na verdade, a coluna cometeu um erro, chamando-a de “patriarca”. Claro que foi um erro, imediatamente corrigido por vários leitores. Pedimos desculpas pelo erro cometido. Dona Vilma, aliás, foi a principal responsável por seus dois filhos desistirem de participar da política. Jaques não concorreu à reeleição à Assembleia e Alex Testoni renunciou à Prefeitura de Ouro Preto, em seu segundo mandato.

 

POVO ANESTESIADO

Quando houve uma chacina brutal em São Paulo, com 19 assassinatos em três horas, a repercussão foi um pouco acima do normal, em função de tantos casos de violência no nosso país. Numa terra onde há 50 mil assassinatos por ano (só 10 por cento são solucionados), a população já parece anestesiada para a dor e para o pânico. É por isso que algumas emissoras de TV, hoje, dedicam mais espaço para maus tratos contra animais do que para assassinatos brutais. A morte de animais ainda mexe com o coração de muita gente. Já as outras…

 

RAUPP CORRENDO

O senador Valdir Raupp não quer mesmo perder o contato com o PMDB regional. No final de semana, correu de um lado para o outro, acompanhado da deputada Marinha Raupp, indo a pelo menos três convenções do partido no Estado. Começou por Porto Velho e depois esteve em Cacoal e Nova Brasilândia. Os peemedebistas da Capital elegeram Leandro Low, que já era presidente interino, mas com o aval de Raupp. O partido começa a tentar unir suas muitas correntes, já de olho nas eleições municipais do ano que vem. Se terá candidatura própria em 2016? Se depender da decisão de Raupp, terá sim…

DISCURSO DE CANDIDATO

Por falar em PMDB, na convenção de Porto Velho, o secretário de saúde do Estado, Willames Pimentel, oficializou sua pré candidatura. Em seu discurso aos convencionais, Pimentel usou o linguajar dos que vão mesmo para a batalha das urnas e conclamou seus companheiros a acompanhá-lo. O outro nome forte do partido, o Chefe da Casa Civil do governo, Emerson Castro, também deve entrar na corrida, em 2016. Quando chegar a hora, a ideia é realizar uma ampla pesquisa, selecionando o nome que tivesse melhores condições eleitorais na cidade. A terceira via do PMDB seria manter a aliança e apoiar a reeleição de Mauro Nazif.

 

BEM NA FOTO

Por falar em Emerson Castro, uma pesquisa de popularidade  o coloca em segundo lugar, atrás apenas do deputado Léo Moraes, caso a eleição fosse hoje. Melhor ainda para o ex prefeito da Capital (concluiu o mandato, quando Roberto Sobrinho foui afastado), é que a rejeição ao seu nome, na mesma pesquisa, que ouviu mais de 900 eleitores da cidade, é a mais baixa de todas: apenas 1,3%. Neste levantamento, o nome do secretário de saúde Willames Pimentel não aparece, porque ele ainda não estava sendo citado como pré candidato. Outros nomes citados na pesquisa foram Odacir Soares, Edegar do Boi, Alan Queiroz, Mauro Nazif Doutor Ribamar e Pimenta de Rondônia, nessa ordem…

 

PERGUNTINHA

Os 50 mil que os chamados movimentos sociais de apoio ao governo pretendem reunir nesta quinta, farão mais barulho do que o meio milhão de opositores que foram às ruas, em todo o país, neste domingo passado?

Fonte: Opinião De Primeira

Notícias Relacionadas