Compartilhe
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
19
set
2020

O “SURTO” epidêmico chegou em Espigão do Oeste

Com a divulgação do primeiro caso positivo de COVID-19 em Espigão do Oeste, teoricamente chega a cidade o surto da doença. Surto no sentido figurativo, visto que pessoas podem partir para histeria e com isso tem início a rede infinita de Fake News que é hoje o meio mais eficaz de disseminar o pânico.

A doença que vem ceifando a vida de milhares de pessoas no mundo inteiro, teve sua origem na China como é do conhecimento de todos, mostra que o vírus que veio do outro lado do mundo é eficaz o suficiente para chegar em qualquer lugar, inclusive Espigão do Oeste.

Áudios começam a circular no Whatsapp, contendo as mais diversas formas de pânico, desde a contaminação de uma empresa inteira até o tão falado LockDown que é o bloqueio de emergência da cidade, fechando Espigão do Oeste para o mundo, quem falou não pensou, é uma certeza.

Com seu primeiro caso, moradores de Espigão do Oeste passam a experimentar aquilo que vem ocorrendo no mundo inteiro. No começo as pessoas não sabem como reagir a notícia, com o passar dos dias, e inevitavelmente dos novos casos, passam a acostumar-se com a ideia, e entendem que a vida precisa continuar. Claro que nunca mais como antes, contudo caminhar é preciso.

O aperto de mão, o abraço a intimidade típica do brasileiro e mais ainda em cidades como Espigão do Oeste, são gestos de afeto que por hora devem ser deixados de lado, a situação exige medidas extremas de cada cidadão, é urgente que as medidas recomendas sejam adotadas de forma eficaz, o uso correto das máscaras, assepsia das mãos com água e sabão e em locais públicos com álcool em gel.

Empresários se movimentam de forma eficaz, e estão oferecendo aos clientes, aquilo que lhes foi exigido, é um interesse de todos que a economia não deixe de funcionar, sendo primordial que vidas sejam salvas do COVID-19, como também da possível crise econômica.

Não há motivos para alardes, importante que exista tranquilidade por parte do poder público e dos cidadãos, as “tias do zap” podem colaborar propagando menos notícias falsas, o momento existe cautela e moderação de todos os envolvidos, inclusive o Ministério Público.

A história recente mostra que os casos se propagam com muito mais força dentro de hospitais, ali sim, a secretaria de saúde precisa tomar medidas enérgicas, para preservar a saúde dos funcionários que estão na linha de frente dessa batalha que ao que parece, encontra-se ainda em fase inicial. Os pontos inevitáveis de aglomeração deviam ser desinfectados, a prefeitura peca por ainda não ter feito, lotéricas, bancos, são lugares essenciais e que merecem um atenção do Poder Executivo, a compra em caráter emergencial já foi liberada, burocracia não é justificativa.

Cuidar dos idosos nunca foi tão essencial, proteja quem você ama, evite o contato, a frase até parece clichê e ainda que seja, não custa lembrar que é preciso cuidar de si e do próximo.

“Andá com fé eu vou
Que a fé não costuma faiá”

Notícias Relacionadas