Publicidade

Publicidade

Polícia Civil de Rondônia alerta sobre golpes de estelionato aplicados em sites de compras e redes sociais

0
Real Turismo

A tecnologia trouxe muitas facilidades à vida das pessoas, até negócios e vendas estão sendo fechados através da internet. Mas por trás de toda essa modernidade e rapidez, se esconde o perigo, é o que alerta a Policia Civil de Rondônia, por meio do delegado titular da Delegacia Especializada em Repressão à Furtos e Roubos de Veículos Automotores (DERFRVA), Alessandro Morey. Segundo ele, em Rondônia o número de vítimas de estelionato praticados em sites de compras e redes sociais vem aumentando.

Entre as vendas, é possível encontrar objetos de pequeno, médio e até grandes valores, como casas e carros. Parece inacreditável que uma pessoa forneça dados pessoais, ou realize pagamentos pela internet sem ao menos ver pessoalmente o vendedor, ou o objeto da venda, mas a prática tem feito vítimas por todo o país.

 

“Fazer negócio pessoalmente, prestando atenção aos dados e informações evita que a vítima caia em golpes deste tipo. Com o trabalho por meio de divulgações, temos reduzidos os números e conscientizado a população. Mas é sempre bom ficar em alerta ”, destacou o delegado.

 

COMO O GOLPE FUNCIONA

Segundo o delegado, o sucesso do golpe se deve à falta de atenção das vítimas, e a lábia do criminoso na hora da persuasão. “Em muitos casos, a venda nos sites ou redes sociais é real. O criminoso atua apenas como intermediário. Entra em contato com o vendedor, fazendo-o acreditar que tem interesse na compra. Pede dados e informações sobre a venda, e depois com falsos depósitos consegue enganar o vendedor, que entrega o objeto da venda ao criminoso. É então que ele consegue enganar a segunda vítima, nesse caso, uma que tenha interesse real na compra. A vítima interessada acaba fazendo transferência ou depósito do valor pedido pelo criminoso, e fica sem o dinheiro e o veículo, por exemplo. No fim das contas, foram duas vítimas de uma só vez, o vendedor e o comprador interessado”, alertou.

Os criminosos utilizam nomes, documentos e até assinaturas de autenticidade falsas. Além de contas bancárias em nomes de terceiros ou inexistentes. Esse tipo de golpe já existia, mas tecnologia só facilitou a aplicação.

COMO SE PROTEGER?

Uma das formas de se proteger é prestar bastante atenção na hora de fazer ou fechar qualquer negócio, alerta o delegado. Além de preferir a velha prática do “cara a cara” na hora de confirmar ou assinar documentos, evitar compartilhar dados pessoais, ou de contas financeiras com pessoas desconhecidas ou em grupos de compras; Prestar atenção ao abrir links enviados por aplicativos, já que podem colocar em risco dados e a segurança de quem os abre. A leitura é sempre uma aliada, e através dela é possível encontrar erros gramaticais que colocam em dúvida a veracidade do conteúdo.

 

por Secom
da Secom

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarVeja Mais