Publicidade

Publicidade

Publicidade

Porto Velho comemora 105 anos precursora do desenvolvimento do Estado de Rondônia

0
Real Turismo

Pequena vila que foi crescendo com a construção da estrada de ferro, Porto Velho completa 105 anos nessa quarta-feira (2). Com criação oficial nesta data, a cidade já se instalava alguns anos antes, devido à movimentação dos trabalhos realizados no início histórico da Estrada de Ferro Madeira Mamoré (EFMM).

Nascida das instalações portuárias, ferroviárias e residenciais da EFMM, curiosidades acerca da sua expansão formam o desenvolvimento do Estado. Antes, cidade pacata, sem luz elétrica, hoje metrópole, como ressaltou o historiador Anísio Gorayeb, servidor público do Estado de Rondônia há 36 anos. “Rondônia é um Estado pujante, hoje tem boa estrutura de Governo. Por mais otimista que eu fosse, jamais imaginei chegar na idade que estou, com 64 anos, e ver uma metrópole, uma cidade verticalizada, uma cidade bonita”, destacou o historizador.

Porto Velho, cidade com quase 540 mil habitantes, entre suas principais vias, teve desde o princípio a influência de outros países em seu crescimento, como a Avenida Farquar, que abriga o Centro Político Administrativo do Estado, uma das primeiras ruas da cidade, com nome do norte americano Percival Farquhar, empresário que construiu a ferrovia Madeira Mamoré. A construção da Estrada de Ferro atraiu trabalhadores do mundo todo, o que fez surgir um pequeno povoado, chamado Distrito de Humaitá, na época município do Amazonas. Segundo Anísio, Porto Velho era município do Amazonas e em 1914 tornou-se capital do Território do Guaporé (Rondônia desde 1981).

Como o empreendimento da ferrovia Madeira Mamoré movimentava recursos financeiros, gerando emprego e renda, houve grande êxodo na região e muitas pessoas se deslocaram para o antigo distrito, hoje Porto Velho. O principal influente da origem do município é o Rio Madeira. “Nós existimos aqui por causa do Rio Madeira. Em 1907 quando começou essa grandiosa obra da Ferrovia Madeira Mamoré, o mundo não tinha avião, nem carro. Sem estradas, o meio de transporte do mundo eram trens e navios. Esse rio fez com que chegasse aqui os trabalhadores para fazer a ferrovia”, contou Anísio.

Hoje pela hidrovia do Madeira escoam grandes produções de todo o Estado e cerca de 70% das riquezas produzidas, como grãos, carne, peixe, leite e laticínios, segue com destino a outros estados e países, pelo Oceano Atlântico.

“Rondônia é diferenciado, um Estado em franco desenvolvimento, que cresce acima da média do país. Passou a Estado em 1981, com uma população de 590 mil, hoje nós somos 1,8 milhão. Vejo a minha capital Porto Velho hoje como uma cidade que tem tudo que uma grande cidade tem. Mas, não basta só dizer, eu amo Porto Velho, o cidadão tem que fazer a parte dele também, não basta só cobrar, tem que saber que tem dever também”, concluiu o historiador, que nesta quarta-feira, recebe um reconhecimento da Prefeitura, por sua contribuição ao desenvolvimento e valorização da cultura no município de Porto Velho.

por Secom
da Secom

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarVeja Mais