Publicidade

Publicidade

Potencial agrícola de Rondônia é destaque durante Abertura Nacional do Plantio de Soja

1
Real Turismo

Na quinta-feira (19) foi dada a largada para a plantação de soja em todo território nacional. O pontapé inicial aconteceu na cidade de Vilhena, considerada a capital da soja, em Rondônia, por ser o município maior produtor da oleaginosa do estado. A fazenda Jaqueline foi palco do evento, onde uma estrutura foi montada para recepcionar cerca de 500 convidados, entre empresários e produtores rurais do agronegócio de Rondônia e de outros oito estados que vieram acompanhar o início da plantação da safra 2019/2020.

A abertura nacional do plantio de soja foi transmitida ao vivo pelo Canal Rural para todo o Brasil pela internet e canal fechado. Produtores rurais de diferentes regiões do país acompanharam a programação participando com perguntas aos profissionais da Embrapa, Emater, Aprosoja Brasil e de Rondônia, além dos empresários do ramo de tecnologia e fertilizantes.

De acordo com a Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), Rondônia tem uma grande vocação para o plantio do grão que precisa ser explorada. Na safra de 2017/2018 a produção rondoniense foi de 1 milhão de toneladas, em uma área de 368 mil hectares de terra. Para a safra de 2019-2020 a previsão é que a área de plantio de soja salte para 400 mil hectares.

“Em Rondônia não chegamos a utilizar nem 8% do potencial. A expectativa é que em 4 anos, o Estado possa chegar a 1 milhão de hectares de soja plantada. O governo Marcos Rocha vem alinhando, junto ao Governo Federal, formas de subsidiar os grandes e pequenos produtores para fomentar ainda mais a produção e exportação de soja, porque qualidade nosso produto tem”, destacou Evandro Padovani, secretário da Seagri.

O Brasil é o segundo maior produtor mundial de soja, ficando atrás apenas dos Estados Unidos. A produtividade média da soja brasileira gira em torno de quase 3 mil quilos por hectare. Os principais estados produtores do Brasil são: Mato grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas Gerais, Bahia, Maranhão, Tocantins, Piauí, Pará, Distrito Federal e Rondônia, onde predomina o cerrado, principal bioma que favorece o plantio de soja.

As perspectivas para igualar ou até mesmo superar a produção do gigante Estados Unidos nesta próxima safra é grande.

O secretário de Assuntos Agrícolas do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), Eduardo Sampaio, representando a ministra Tereza Cristina, disse que os países orientais são os maiores importadores de produtos brasileiros, não só a soja. Ele deixou claro que o Governo Federal busca alternativas, aliadas à biotecnologia e tecnologia que proporcionem o aumento da produção do grão com qualidade.

No discurso, o governador Marcos Rocha agradeceu aos representantes do Ministério da Agricultura e Pecuária e da Aprosoja nacional por escolherem Vilhena, em Rondônia, para sediar a abertura do plantio de soja safra 2019-2020 no Brasil.

O chefe do Poder Executivo disse que a melhor maneira de ajudar os produtores para que produzam mais é não criar novos impostos. Isso fará com que os grandes fiquem maiores e os pequenos se tornem grandes, gerando o aumento da arrecadação estadual.

“A luta e o suor de nossos produtores tem feito Rondônia prosperar. A arrecadação pode ser trabalhada sem pressionar os produtores. Trabalhando em parceria e unidade vamos prosperar não só um estado, mas o Brasil”, ponderou o governador.

Na ocasião, o governador Marcos Rocha realizou a entrega de medalhas “Mérito Rural Rondon” aos empresários Valdir Masutti, presidente da Aprosoja Rondônia, Claides Lazaretti Masutti e para Aprosoja.

A medalha é considerada maior honraria prestada pelo Governo de Rondônia, através da Seagri, aos visionários e desbravadores do agronegócio no Estado.

Logo após a apresentação e entrega das medalhas, o governador e presidente da Aprosoja Rondônia fizeram a abertura oficial do plantio de soja na cabine da máquina semeadora, onde plantaram os primeiros de grãos.

Estiveram presentes na abertura nacional do plantio de soja, o secretário de Assuntos Fundiários do Ministério da Agricultura, Luiz Antonio Nabhan Garcia, os deputados federais, Jaqueline Cassol, representando o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, Lúcio Mosquini, os deputados estaduais, Luizinho Goebel,  Laerte Gomes, presidente da Assembleia Legislativa, o secretário da Casa Civil, Júnior Gonçalves e o presidente da Aprosoja Brasil, Bartolomeu Braz.

por Secom
da Secom
  1. Jean Carlos Diz

    Gente, tá na hora de parar de hipocresia não só em Rondônia, mais no Brasil inteiro, estamos vendo todos os dias Reportagens sobre meio ambiente, queimadas e tudo mais, onde o Principal vilão é o setor Madeireiro, agora vem com essa reportagem enaltecer a Agricultura e consequentemente a Pecuária como grandes desenvolvedores regionais, os caras desmatam e queima, quero que me mostrem um dono de Fazenda ou Agricultor mostte o plano de manejo que foi feito dentro dessas aéreas ou a autorização de desmate para corte razo, onde poderia gerar milhões de M3 de toras 1000% legalizadas, que poderiam gerar centenas de trabalhos e gerar receita de impostos ao Governo como um todo, porém se pesquisarem vão vê que virou só. Então por favor é importante sim, desenvolver a Agricultura no Estado, mais vamos ser mais sérios.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarVeja Mais