Publicidade

Publicidade

Publicidade

Quase 700 kg de peixes são apreendidos pela Polícia Ambiental em RO

Outras 12 tartarugas que seriam comercializadas foram resgatadas. É crime pesca predatória e caça de animais silvestres.

0
Real Turismo

Cerca de 680 kg de peixes foram apreendidos nesta semana durante uma ação de fiscalização da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam) em conjunto com a Polícia Militar Ambiental (PMA). Outras 12 tartarugas que seriam comercializadas foram resgatadas. O caso aconteceu no rio Guaporé, entre a Fazenda Ilha das Flores e a comunidade de Pedras Negras.

De acordo com a Sedam, as espécies de peixes eram Caparari, Surubim e Pescada. O pescado foi apreendido porque os pescadores estavam transportando uma quantidade maior do que a permitida. Os peixes também tinham indícios de utilização de apetrechos (arpão e malhadeira), que não são permitidos na região.

Além do pescado, as equipes apreenderam o motor usado na embarcação. Após uma verificação de que o pescado estava apto a ser consumido, os peixes foram doados às instituições sociais de Alta Floresta e Rolim de Moura. Já as tartarugas foram devolvidas ao seu habitat.

Depois da fiscalização, as equipes da Sedam e da Polícia Ambiental repassaram instruções e informações para os donos de pousadas, barcos, hotéis e piloteiros da região sobre as medidas, quantidade permitida para transporte, bem como dicas sobre respeito à legislação da pesca vigente.

De acordo com a Sedam, a pesca predatória e a caça de animais silvestres é crime. Segundo a Lei de Crimes Ambientais n.º 9.605/98, dependendo das circunstâncias, o criminoso estará sujeito a multas e apreensão de equipamentos e embarcação.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarVeja Mais