Compartilhe
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
09
abr
2021

Reconstituição da morte da jovem Tatila Portugal acontece nesta quarta-feira em Ariquemes, RO

A Polícia Civil de Ariquemes (RO) no Vale do Jamari marcou para esta quarta-feira (3) a reconstituição do caso Tatila Portugal. A jovem de 24 anos foi encontrada morta em setembro do ano passado. O acusado do crime era companheiro da vítima.

A reconstituição, determinada pela Justiça, acontece durante a noite para comprovar se Tatila foi vítima de feminicídio, ou não.

Tatila foi encontrada morta em setembro de 2020 no apartamento em que morava com o namorado Cleverson Siebre, conhecido como Kevyn. No boletim de ocorrência, que inicialmente classificou o caso como suicídio, consta que o suspeito disse aos policiais ter chegado com a vítima de um sítio, após terem consumido bebida alcoólica e, na sequência, os dois começaram a discutir.

Ele relatou que, “para a situação não piorar”, saiu do apartamento “para dar uma volta” e quando voltou, encontrou a namorada morta por enforcamento. Ainda segundo o boletim de ocorrência, o cantor disse que pediu ajuda de um vizinho e levaram a jovem até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), onde a morte dela foi confirmada.

Na época, um inquérito da Polícia Civil foi instaurado para apurar as contradições sobre a morte da jovem. O laudo produzido pelo Instituto Médico Legal (IML) apontou que as lesões no corpo de Tatila não eram compatíveis com a corda usada no suposto suicídio e a prisão temporária de Kevyn foi representada e aceita pela Justiça. Depois, a prisão foi convertida em preventiva.

A defesa de Kevyn informou à Rede Amazônica que só vai se manifestar nos autos.

A família da vítima pede Justiça.

Fonte: G1

Notícias Relacionadas