Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recuperação da Estrada do Boi, que interliga o Cone Sul à Zona da Mata, avança mais de 50 quilômetros

0
Real Turismo

O governo de Rondônia concentra equipes do Departamento de Estradas de Rodagem e Transportes (DER) na recuperação da RO-370, também conhecida como Rodovia do Progresso ou Estrada do Boi, com 193 quilômetros de extensão interligando a zona da Mata ao Cone Sul do Estado, grandes centros produtivos de grãos e bovinos em Rondônia.

Com cerca de 10 dias, os trabalhos de patrolamento já ultrapassaram 50 km. Outra frente de serviço atua no encascalhamento, que já atinge a marca de 15 km.

Devido a sua extensão de quase 200 km, a Estrada do Boi é recuperada pelas Residências Regionais de Colorado do Oeste e de Rolim de Moura. A conservação da rodovia começou pelo município de Corumbiara e a estimativa é de 60 dias de trabalho.

O residente do DER de Colorado do Oeste, Paulinho Cenacol, disse que a estrada receberá 100% de patrolamento e encascalhamento, instalação de bueiros, cortes de morros e eliminação de curvas perigosas.

Há duas semanas o diretor-geral do DER, Lioberto Caetano, percorreu toda a extensão da rodovia acompanhado do secretário de Agricultura do Estado, Evandro Padovani, do deputado estadual Luizinho Goebel (PV), do engenheiro do DER, Augusto Neves, e do residente regional do órgão, Paulinho Cenacol. Caetano afirmou que o governador Confúcio Moura tem a preocupação de dar condições para que o homem do campo possa produzir e escoar seu produto.

REGIÃO DE ALTA PRODUÇÃO

O secretário Evandro Padovani destacou que o Sul do estado produz 85% dos grãos do estado de Rondônia e tem cerca de um milhão de bovinos, sendo a maioria de corte. Disse que toda essa produção tem reflexo nas importações e, consequentemente, no Produto Interno Bruto (PIB) de Rondônia. O governo está dando o apoio que o produtor necessita”, garantiu.

O diretor do DER disse que o órgão tem a obrigação de manter as estradas transitáveis para não comprometer o transporte de grãos. “O ciclo do transporte de grãos não pode ser interrompido. Cerca de 30% da produção é armazenada nas carretas, durante o transporte. O restante está guardado nos portos e entrepostos para exportação. Parte da colheita é realizada no início das chuvas e as estradas precisam estar preparadas”, explicou.


Fonte
Texto: Nilson Nascimento/Emanuel Alencar
Fotos: Emanuel Alencar
Decom – Governo de Rondônia

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarVeja Mais