Compartilhe
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
17
jan
2021

Rio Madeira permanece em elevação na região Norte

download

De acordo com o monitoramento do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), o rio Madeira, localizado nos estados de Rondônia e Amazonas, está com cotas acima do nível de alerta (16 m) e as chuvas em sua bacia hidrográfica permanecem acima da média para este período do ano.

Segundo análises, o rio Madeira deverá permanecer em elevação até o fim de março, e é possível atingir a cota 16,70 m ainda nas próximas 48 horas. 

A informação foi divulgada pelo assistente de Produção de Hidrologia e Gestão Territorial da CPRM, Francisco Barbosa, na cidade de Porto Velho. Para a CPRM o período chuvoso em Rondônia,  que vai até meados de abril, não é preocupante.

O nível do rio Madeira é influenciado pelas bacias dos rios Mamoré e Beni, que nascem na Bolívia e no Peru e, por isso, as chuvas que caem naqueles países é que refletem no nível do rio no Brasil. 

“O que chove na área urbana de Porto Velho não influencia diretamente na elevação no nível do Madeira, mas sim em problemas de drenagem urbana e elevação dos igarapés urbanos, mas não necessariamente no nível do rio”, esclareceu Francisco Reis, engenheiro hidrólogo.

O chefe da Residência da CPRM em Porto Velho, Edgar Figueiredo Iza, explicou que o Departamento de Hidrologia é responsável por monitorar as águas superficiais e subterrâneas do Brasil, além de realizar mapeamentos da susceptibilidade, vulnerabilidade e definição de áreas consideradas de risco para as comunidades.

“Atualmente a CPRM em Porto Velho, além do monitoramento do nível dos rios nos estados de Rondônia e Acre também está implantando um Sistema de Alerta Hidrológico para Eventos Críticos para ambos os rios”, disse Edgar. 

Cheia no Acre

A situação do rio Acre, no entanto, é a mais grave. Nesta semana o município de Assis Brasil foi inundado e os municípios de Brasiléia, Xapuri e Rio Branco, também ficaram seriamente comprometidos com as chuvas, explica o engenheiro hidrólogo Franco Buffon.

Já o rio Branco está aproximadamente 2 metros acima da cota de inundação e os níveis continuam a subir. 

Chuvas intensas tem atingido a bacia hidrográfica do rio Acre desde semana passada e a previsão é de que permaneçam intensas por mais alguns dias.

Uma equipe da CPRM encontra-se em Brasiléia para registrar as áreas alagadas dos municípios que foram atingidos. Atualmente a CPRM mantém 74 estações de monitoramento, que utilizam equipamentos de ponta para medir o nível dos rios em Rondônia e no Acre. 

Além disso, de acordo com a CPRM, no Acre as chuvas que caem no Brasil afetam diretamente as águas do rio. “O rio Acre tem a nascente em parte do Peru, mas o que está influenciando hoje são os rios que ficam dentro do Brasil, que são o Xapuri e o Espalha”, informou Francisco Reis.

Fonte: Serviço Geológico do Brasil

Notícias Relacionadas