Uma ironia para os moradores que já desistiram de esperar por melhorias.

O bairro Cidade Alta pede socorro às autoridades para o caos que se instalou nas ruas da periferia do bairro. Abandonado pelo Poder Público que a muito tempo não volta a sua atenção para o bairro, os moradores criticam a ausência da administração que praticamente virou as costas para os moradores das ruas periféricas. Ruas que na sua maioria estão intransitáveis devido a quantidade de buracos abertos pela ação das enxurradas que correm rua abaixo pela falta de sistema de captação e drenagem das águas pluviais. Quarteirões inteiros estão isolados pela buraqueira que toma a extensão da rua, não permitindo o trafego de veículos, apenas as motos com muita cautela ainda conseguem circular pelo local.

Rua Esperança no Cidade Alta.

Dezenas de moradores já estiveram na prefeitura reivindicando uma ação do poder público no bairro para oferecer um mínimo de condições para se locomoverem pelas ruas, porem os pedidos são ignorados, rechaçados com um desculpa qualquer e o tempo vai passando a as melhorias não acontecem. A Rua Esperança é uma das mais castigadas pela buraqueira. Uma ironia para os moradores que moram na Rua Esperança, mas afirmam que já perderam a esperança a muito tempo de verem uma solução para o local. A rua recebe toda a água das demais ruas acima e sem um sistema de captação e drenagem, o aguaceiro desce livre, invadindo quintais, casas, inundando fossas, derrubando cercas e todo tipo de prejuízo aos moradores. A Rua Esperança esquina com a Romiporã se tornou um local impróprio para morar. O local recebe a enxurrada da Rua Esperança somado com a Rua Romiporã que nos dias de chuva mais parece um rio que invade o quintal arrastando tudo pela frente.

Rua Romiporã no Cidade Alta.

Atualmente os donos da casa se mudaram para casa de parentes, pois o alicerce da residência ficou comprometido pela enxurrada da ultima chuva. Visitamos o local e encontramos uma família que veio de Nova Esperança e se instalou na casa provisoriamente por não ter outro local para ficar. Mais abaixo mora Lindaura Janks Uger que sofre o mesmo problema. “A cada chuva é uma correria para tentar impedir a água de entrar em casa”. Afirmou à moradora. Segundo ela a água fica empossada logo abaixo, exalando um forte mau cheiro e se tornando um criadouro de pernilongo. “As crianças brincam nessa água e algumas já ficaram doentes por isso” Afirmou Lindaura.

Veja Abaixo o Passeio pelo bairro Cidade Alta

Do jornalismo do Espigão News
Autor: Luizinho Carvalho