Secretário de Segurança de Rondônia defende parcerias para o enfrentamento ao crime organizado nas fronteiras

Real Turismo

O secretário de Segurança, Defesa e Cidadania do Estado de Rondônia, coronel PM Ronimar Jobim, participou no final de semana (27 e 28) de reunião realizada em Brasília com a participação de 10 outros secretários de segurança estaduais. Durante o evento, com representantes da Senasp, eles debateram sobre estratégias de integração e atuação para o enfrentamento ao crime organizado nas regiões de fronteiras. A proposta é que as polícias civis e militares de cada estado trabalhem em conjunto com as polícias Federal e Rodoviária Federal, sob a coordenação da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). Cada estado terá um representante no Centro de comando e Controle com sede em Brasília, o que facilitará o compartilhamento de estratégias.

Segundo o secretário de segurança de Rondônia, coronel PM Ronimar Jobim, os estados de fronteira não fazem nada sozinhos. “Há, Portanto, a necessidade de integração entre esses estados sob a coordenação e liderança do Governo Federal, por meio da Senasp para atuação de forma cada vez mais eficiente, o que tem expectativas de bons resultados. O coronel Jobim assumiu a pasta no dia 23 de abril último, em substituição ao então secretário, coronel Caetano.

Na região Amazônia, somente o estado de Rondônia tem mais de 1.400 quilômetros de fronteiras. O secretário Jobim compartilha da ideia de que a integração das forças de segurança dos estados e Governo Federal é uma das formas de enfrentar problemas como: tráfico de drogas, contrabando de armas bem como comércio ilegal de produtos diversos originados em outros países.

Para o secretário Nacional de Segurança Pública, Carlos Alberto Cruz, trata-se de um aperfeiçoamento, onde principalmente, a comunicação precisa ser integrada, além dos planos de trabalho e plano tático de atuação, com o desenvolvimento de operações conjuntas nas áreas limites entre um estado e outro, e as áreas de fronteiras entre Brasil e países vizinhos.

Com integração dos trabalhos de segurança, as ocorrências nos estados fronteiriços serão recebidas em tempo real na sala de Comando e Controle em Brasília, o que poderá facilitar e agilizar a tomada de medidas. “Tem que fazer uma integração de inteligência com o compartilhamento de informações entre todos, para combater esses ilícitos”, destacou o secretário da Senasp.

por Secom Governo
da Secom Governo

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarVeja Mais