Publicidade

SEM REVISTA ÍNTIMA, COMO FICARÃO NOSSOS PRESÍDIOS?

0
Real Turismo

Há dois mundos: o ideal, onde tudo funciona direitinho e o real, que todos sabem que quase nada funciona, ainda mais quando envolve ineficiente o serviço público. Sentença recente de Sua Excelência, o juiz Renato Bonifácio de Mello Dias, da 1ª Vara de Execuções Penais é daquelas que cabem como uma luva na sociedade perfeita,  mas  têm resultado nefasto quando se trata da vida real. Pela decisão, a partir de agora, estão proibidas as revistas íntimas (consideradas vexatórias), em familiares de presos, quando das visitas aos detentos do sistema penitenciário do Estado. Decisões semelhantes, aliás, já foram tomadas em outras regiões do país. No mundo ideal, a sentença protege os direitos das pessoas, livrando-as de humilhações a que principalmente as mulheres são passíveis, quando vão aos presídios. No real, contudo, isso vai possibilitar uma liberdade total para que os presídios sejam inundados de celulares, armas, drogas e até explosivos. Não importa o discurso: nada mudará a verdade verdadeira, porque a decisão do magistrado, para o mundo real, significa mais insegurança, mais perigo, mais famílias em pânico com o crime, que é comandado de dentro das cadeias. Essa é a realidade. Todo o resto é sonho de que tudo funcione direitinho neste país, principalmente na área do sistema penitenciário.

O Sindicato dos Agentes Penitenciários está também apavorado. Porque agora, além de não poderem mais proceder a uma revista minuciosa nos visitantes, ainda correrão o risco, todos os profissionais, de serem denunciados à Justiça, caso algum visitante de preso considere, por decisão pessoal, que o agente cometeu algum exagero. Ou o  colocou  numa situação considerada vexatória ou fora do que determina a decisão do juiz, que também é o corregedor permanente dos presídios. Assustador!

DESPENHADEIRO

Enfim, essa é triste e lamentável realidade. Muita preocupação de autoridades de todos os poderes com os presos, sempre prontos a agir rapidamente, fazendo valer as leis que protegem os direitos dos que estão cumprindo pena. Não é negativo. Os detentos merecem ser bem tratados e seus direitos têm que ser respeitados, numa democracia. O problema é o outro lado da moeda: não há, jamais, a mesma e intensa preocupação com as pobres vítimas, pessoas de bem, sempre esquecidas.E assim vai o Brasil, em direção ao despenhadeiro da inversão de valores……

SEM SALÁRIO?

O dia é de apreensão para os servidores da Assembleia Legislativa. O pagamento do salário de dezembro está programado para esta terça, mas como até o início da semana não havia sido feito o repasse constitucional, por causa de divergências com o Executivo, a grana ainda não chegara aos cofres do parlamento. Centenas de servidores da ALE podem passar o Natal sem grana no bolso. A menos que o impasse tenha sido contornado até a noite desta segunda…

CORAGEM PARA SOBREVIVER

Tem que ter coragem para ser comerciante no centro de Porto Velho. Numa cidade suja, feia, sem segurança, onde os flanelinhas dominam as poucas áreas de estacionamento e os locais onde deixar o carro pode custar até 10 reais; numa economia onde a tributação acaba com o lucro; onde a legislação trabalhista coloca o empresário como refém; onde a inflação está voltando, enfim, neste contexto tenebroso é que sobrevivem os lojistas do centro da Capital. Estão ferrados!

PRESENTE DE NATAL

Na antevéspera de Natal, Porto Velho ganha um presente. E de onde geralmente só se ouve coisas negativas: da Câmara Municipal de Vereadores. Nesta terça, será inaugurado o prédio, transformado em Museu, que abrigou a primeira Câmara da Capital, na ladeira ao lado da Prefeitura. Abandonada durante anos, semidestruída, usada como abrigo de marginais e acúmulo de lixo, a construção transformou-se num primor. Vai ser certamente um orgulho para a cidade. O presidente Alan Queiroz e seus pares merecem todos os elogios, por essa grandiosa obra.

SOCORRO, POLÍCIA!

Consumidor foi a um posto de combustível, onde, segundo promoção que participou, teria uma lavagem do carro caso abastecesse determinado valor. Cumpriu sua parte e na hora de receber o prometido, os funcionários do posto se negaram, dizendo que o local havia mudado de dono e que a promoção anterior não tinha validade. Ao reclamar, o consumidor foi tão maltratado que chamou a polícia, para exigir seus direitos. Os atendentes foram obrigados a fazer o serviço prometido. Parece mentira, mas isso aconteceu em Porto Velho, nesta semana. O consumidor que reclama, merece respeito!

DUPLA DE PESO

Por um erro de digitação, tópico nesta coluna comentava, dias, atrás, sobre a equipe do governador Confúcio Moura e indicava que Willames Pimentel era o nome certo para o lugar certo “na Seduc”. Obviamente a intenção foi escrever na área da Sesau, ou seja, na saúde pública estadual. Faltou ainda citar que o time continuará o mesmo, com Pimentel à frente o seu fiel escudeiro, o dr. Maiorquin, como adjunto. Calcanhar de Aquiles de qualquer administração, a saúde rondoniense teve avanços importantes com a dupla, que promete muito mais. Esperemos, pois!

PERGUNTINHA

O que será que o Papai Noel vai trazer de bom para a população tão sofrida do nosso Estado, nesta quarta, noite de presentes de Natal?

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarVeja Mais