Publicidade

Publicidade

Semana Nacional de Trânsito é aberta em Rondônia sensibilizando e convocando a participação da sociedade

0
Real Turismo

A má conduta no trânsito e o desrespeito às leis colaboram com o aumento de acidentes em Rondônia.  “Cerca de 70% dos acidentes que ocorrem no Estado são por falha humana, seja imperícia ou por desrespeito à legislação de trânsito”, disse o governador Marcos Rocha durante o seu pronunciamento na abertura da Semana Nacional de Trânsito (SNT), que aconteceu na noite desta terça-feira (17), no auditório do L’Accords Hotel em Porto Velho.

O governador pediu aos rondonienses que tenham mais consciência no trânsito, que respeitam a legislação, pois a falta de um comportamento adequado no trânsito tem provocado muitos acidentes, onde as pessoas vão parar no Hospital e Pronto Socorro João Paulo II, passando por meses em tratamento, quando não ficam sequelados ou então morrem, causando uma grande perda à família e à sociedade.

Marcos Rocha também citou fatos ocorridos com a sua própria família, onde, em um acidente de trânsito, morreram a sogra e o sogro. Um ano depois sua cunhada também perdeu quando pilotava uma motocicleta e foi atropelada por um veículo que avançou em sua direção. Diante das experiências familiares que já passou, o governador convocou a participação da sociedade para que tenha mais consciência no trânsito e que respeitem as leis que regem o trânsito brasileiro.

O diretor geral do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) de Rondônia, coronel Neil Aldrin Faria Gonzaga, disse que a Semana Nacional de Trânsito, que acontece em todo país de 18 a 25 de setembro conforme prevê o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), onde as ações de conscientização são intensificadas, tem que acontecer durante o ano todo e contar com a participação da sociedade, pois o trânsito é feito por todos.

Neil Gonzaga disse que essa iniciativa não é uma campanha para comemorar e sim para conscientizar a população da necessidade de mudança de comportamento no trânsito. “O Brasil ocupa, em termos absolutos, a quarta colocação no mundo em números de mortes no trânsito, ficando atrás somente da China, Índia e Nigéria”. Ele chamou a atenção da sociedade para a problemática do trânsito e ressaltou o custo emocional e financeiro que os acidentes causam para as pessoas e para o poder público.

Rondônia tem aumentado significativamente a frota e mais da metade dos veículos do Estado são motocicletas, que representam a maioria dos acidentes de trânsito. Dados estatísticos do Detran mostram que, em 2018, 80,% dos acidentes com vítimas envolveram motocicletas e geraram vítimas fatais de trânsito. Boa parte vão parar no Hospital e Pronto Socorro João Paulo II em Porto velho, muitas dessas vitimas ficaram com sequelas ou perderam a vida.

O diretor geral do Detran também mencionou o fato do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) completar 22 anos esse mês e não ter conseguido atingir o objetivo real de normatizar e reduzir os acidentes e mortes no trânsito. Ressaltou, ainda, a importância dos pilares desse trabalho, que é educação de modo geral e inclui nesse contexto a educação, engenharia e fiscalização de trânsito. “Trânsito é comportamento, é consciência, é cumprir as leis, só assim vamos evitar danos irreparáveis como ficar sequelado ou perder a vida em acidentes de trânsito”, disse coronel Gonzaga.

O secretário municipal de Trânsito de Porto Velho, coronel Nilton Gonçalves Kisner, disse que o memento é de reflexão e destacou as palavras do diretor geral do Detran, coronel Gonzaga sobre os 22 anos do Código de Trânsito Brasileiro, que, segundo ele, o CTB ainda não produziu frutos, apesar das campanhas para educar as pessoas e também destacou a importância da educação, engenharia e esforço legal (fiscalizações) para conter os acidentes de trânsito.

O vereador de Porto Velho e presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário de Rondônia (Sinttrar), Antônio Carlos da Silva, contou que trabalhou como motorista de ônibus intermunicipal transportando passageiros por mais de duas décadas e, depois, de carro de passeio e nunca se envolveu em acidente de trânsito, pois faz planejamento de sua viagem e finalizou elogiando a operação Lei Seca, que tem salvado muitas vidas e pediu uma salva de palmas aos profissionais que trabalham na operação.

O secretário de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), coronel PM José Hélio Cysneiros Pachá, disse que em Rondônia o número de mortes no trânsito é maior que o número de mortes por violência. “Precisamos nos policiar melhor, nosso comportamento, inclusive nossos filhos são conduzidos por nós. Que tipo de exemplos estamos oferecendo a eles”, questionou. E disse que a Sesdec começou há desenvolver, este ano, educação de trânsito na escola. O projeto está sendo desenvolvido em Porto Velho.

A abertura da Semana Nacional de Trânsito finalizou com a palestra do juiz de direito da Vara de Delitos de Trânsito de Ji-Paraná e doutor em Mobilidade Urbana, Oscar Francisco Júnior. A palestra foi voltada especificamente ao ciclista. Doutor Oscar iniciou com a letra da música Metamorfose Ambulante de Raul Seixas: “eu prefiro ser essa metamorfose ambulante, do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo”.

O juiz apresentou números assustadores de acidentes de trânsito no Brasil e disse que “não podemos nos acostumar com isso”. Falou sobre o papel do ciclista no trânsito e para o trânsito. E citou exemplos de país onde esteve para fazer seu doutorado em mobilidade urbana, onde as políticas são voltadas para os ciclistas e não para os condutores de veículos, como é o caso do Brasil.

Doutor Oscar surpreendeu a todos ao contar que utiliza sua bicicleta para ir trabalhar no fórum de Ji-Paraná, para passear e como meio de locomoção, dizendo que faz uso de veículo automotor, também, mas não dispensa a bicicleta. Quando iniciou o uso da bike era praticamente sozinho e, hoje, várias pessoas, inclusive do trabalho, aderiram ao meio de transporte inspirado nele.

E disse que mobilidade urbana eficiente tem que ter cinco dimensões, ambiental, econômica, ciclovia ou ciclo faixa e social.  “De Vilhena a Porto Velho existem vários grupos organizados de ciclistas, temos que dar apoio”, afirmou.

A Vara de Delitos de Trânsito de Ji-Paraná realiza vários eventos de ciclismo ao ano e a intenção é aumentar a quantidade para incentivar outras pessoas e instituições.

Ao final doutor Oscar Francisco Júnior pediu “comprometimento” de todas as pessoas no sentido de melhorar a mobilidade urbana e divulgou os 10 Mandamentos do Ciclista que foi criado por ele em agosto de 2006.

10 Mandamentos do Ciclista:

1º – Dará preferência ao pedestre

2º – Agirá como se todas as portas estivessem abertas quando passar ao lado de um automóvel

3º – Obedecerá à sinalização de trânsito

4º – Não pedalará a noite se não tiver luz de segurança

5º – Manterá a regularidade

6º – Terá cuidado redobrado nos cruzamentos

7º – Usará material de segurança

8º – Alimentar-se à adequadamente e se manterá hidratado

9º – fará revisões regulares em sua bicicleta

10º – Planejará o seu trajeto

por Secom
da Secom

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarVeja Mais