Senador Confúcio homenageia os professores finalistas do Global Teacher Prize e destaca a criatividade dos educadores brasileiros

A brasileira Debora Garofalo estava entre os concorrentes.

0
Real Turismo

Em pronunciamento na segunda (25), o senador Confúcio Moura (MDB/RO) homenageou os professores finalistas do Global Teacher Prize, e destacou as iniciativas dos educadores que usam da criatividade para estimular o aprendizado dos seus alunos, mesmo com sistema educacional fraco e sem apoio.

“Eu vi a crença e a esperança em tudo isso. Eu vi que todos se envolveram de corpo em alma na criação de oportunidades para os seus alunos”, disse Confúcio ao citar a premiação da Fundação Varkey, considerada o ‘Nobel da educação’, que premia anualmente o melhor educador do mundo.

Dentre os finalistas, em especial, o senador ressaltou o trabalho da professora Débora Garofalo, da Escola Almirante Ary Parreiras, na periferia de São Paulo. Por meio do projeto Junk Robotics, ela envolveu os alunos na coleta e uso de resíduos para a produção de protótipos, utilizando conceitos de física e eletrônica, e com isso, os fez descobrir um potencial que até então desconheciam.

Confúcio afirmou, como esses professores, há outros tantos, que, isoladamente, se rebelam contra a mesmice e o lugar comum das escolas e enchem de entusiasmo os seus alunos. “Eu percebi que os finalistas têm em suas aulas, como objetivo central, a ciência e a tecnologia, em suas diversas variações. A partir de questões simples, conseguem obter excelentes resultados”.

Para o parlamentar não há outro caminho para melhorar a educação no Brasil, que não seja pelo professor, muitas vezes abandonado à própria sorte na sala de aula. “O nosso professor está diante deste quadro: o desnivelamento dos alunos, o pouco aprendizado nas séries iniciais, a indisciplina, a falta de respeito, o enfrentamento da delinquência no entorno das escolas e as consequências das drogas dentro e fora do ambiente escolar”, enfatizou .

Em tempo

O prêmio principal, de US$ 1 milhão, foi concedido ao professor Peter Tabishi, do Quênia, que trabalha em uma escola rural, onde um terço de seus alunos é órfão e 90% são extremamente pobres. Ele ainda doa 80% do que ganha do salário para as causas e as necessidades essenciais da sua comunidade. O evento de premiação foi realizado no último domingo (24), em Dubai, nos Emirados Árabes.

por Assessoria
da Assessoria

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarVeja Mais