Compartilhe
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
24
Maio
2020

Suspeito de estuprar menino de 9 anos pode estar com HIV, diz polícia

Suspeito preso pela Polícia Civil na terça, 15, vai passar por exames (Foto: Jonatas Boni/ G1)

O homem suspeito de ter estuprado um menino de 9 anos após um culto religioso em Cujubim (RO), no Vale do Jamari, pode estar com HIV. Preso na terça-feira (15) pela Polícia Civil de Ariquemes (RO), o homem de 52 anos declarou em depoimento que suspeita estar com o vírus causador da Aids. De acordo com o delegado Rodrigo Camargo, tal informação se tornou preocupante, visto que o mesmo estuprou a criança sem preservativo.

Em entrevista, o delegado afirmou estar perplexo com a situação, pois é grande a possibilidade do suspeito ser soropositivo. “É um crime assim que choca qualquer pessoa, até a gente que está há bastante tempo na delegacia da mulher. E ele não usou preservativo em nenhum momento enquanto abusava do menino, causando lesões graves na região do ânus da criança”, relata.

De acordo com a Polícia Civil, mesmo preso na Casa de Detenção de Ariquemes, o suspeito deve passar por exames para confirmar se é portador do HIV. O garoto também deve fazer exames específicos.

Ainda pelo que foi repassado aos policiais, o homem também violentou sexualmente a ex-enteada, que também é menor de idade e este seria um dos motivos para que a ex-mulher se separasse dele. Mesmo flagrando o marido violentando a criança, a esposa preferiu não registrar boletim de ocorrência.

Caso
Conforme investigações da Polícia Civil, o abuso contra a criança teria acontecido no dia 5 de setembro após um culto religioso. O crime só foi descoberto porque a criança apresentou dificuldades para andar. “Como havia uma infecção avançada no ânus do menino, a mãe o levou até o hospital. Na ocasião, o menino alegou ter machucado o bumbum após cair de bicicleta, porém o médico constatou sinais de abuso sexual”, afirma.

O delegado de polícia explica que o suspeito, que era amigo da família, atraiu a criança para a casa dele oferecendo doces. “Chegando na residência já começou a abusar. O suspeito confessou nos mínimos detalhes tudo que fez, inclusive que em alguns momentos o menino pedia para ele parar com o ato sexual, por causa da dor. Tudo foi feito sem preservativo”, aponta.

Após dez dias do estupro, Rodrigo Camargo diz que a criança ainda tem dificuldades para andar. Além de estar recebendo os cuidados médicos, o menino deve passar por acompanhamento psicológico.

Jonatas Boni
Do G1 Ariquemes e Vale do Jamari

Notícias Relacionadas