Publicidade

Publicidade

Publicidade

Suspeito de estuprar menino de 9 anos pode estar com HIV, diz polícia

0
Real Turismo

O homem suspeito de ter estuprado um menino de 9 anos após um culto religioso em Cujubim (RO), no Vale do Jamari, pode estar com HIV. Preso na terça-feira (15) pela Polícia Civil de Ariquemes (RO), o homem de 52 anos declarou em depoimento que suspeita estar com o vírus causador da Aids. De acordo com o delegado Rodrigo Camargo, tal informação se tornou preocupante, visto que o mesmo estuprou a criança sem preservativo.

Em entrevista, o delegado afirmou estar perplexo com a situação, pois é grande a possibilidade do suspeito ser soropositivo. “É um crime assim que choca qualquer pessoa, até a gente que está há bastante tempo na delegacia da mulher. E ele não usou preservativo em nenhum momento enquanto abusava do menino, causando lesões graves na região do ânus da criança”, relata.

De acordo com a Polícia Civil, mesmo preso na Casa de Detenção de Ariquemes, o suspeito deve passar por exames para confirmar se é portador do HIV. O garoto também deve fazer exames específicos.

Ainda pelo que foi repassado aos policiais, o homem também violentou sexualmente a ex-enteada, que também é menor de idade e este seria um dos motivos para que a ex-mulher se separasse dele. Mesmo flagrando o marido violentando a criança, a esposa preferiu não registrar boletim de ocorrência.

Caso
Conforme investigações da Polícia Civil, o abuso contra a criança teria acontecido no dia 5 de setembro após um culto religioso. O crime só foi descoberto porque a criança apresentou dificuldades para andar. “Como havia uma infecção avançada no ânus do menino, a mãe o levou até o hospital. Na ocasião, o menino alegou ter machucado o bumbum após cair de bicicleta, porém o médico constatou sinais de abuso sexual”, afirma.

O delegado de polícia explica que o suspeito, que era amigo da família, atraiu a criança para a casa dele oferecendo doces. “Chegando na residência já começou a abusar. O suspeito confessou nos mínimos detalhes tudo que fez, inclusive que em alguns momentos o menino pedia para ele parar com o ato sexual, por causa da dor. Tudo foi feito sem preservativo”, aponta.

Após dez dias do estupro, Rodrigo Camargo diz que a criança ainda tem dificuldades para andar. Além de estar recebendo os cuidados médicos, o menino deve passar por acompanhamento psicológico.

Jonatas Boni
Do G1 Ariquemes e Vale do Jamari

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarVeja Mais