Compartilhe
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
14
jul
2020

TRÊS ANOS DE UMA OBRA QUE MUDOU RONDÔNIA E O BRASIL

DCIM106GOPROA obra da Hidrelétrica de Santo Antônio, uma das maiores do mundo, completou três anos. Grandiosa, já produziu energia suficiente, nesse período, por exemplo, para ligar, ao mesmo tempo e durante cinco horas diárias, um total de 26 milhões de aparelhos de TV de 30 polegadas. Com capacidade de geração de 2.300 Megawatts, a hidrelétrica já funciona com 32 turbinas e, no fim do  ano que vem vai operar com carga máxima: 50 turbinas. Gerará então energia suficiente para atender a uma população de mais de 45 milhões de pessoas, cerca de um quarto da população do país, considerando-se os números atuais. Afora eventuais interesses contrariados e questões ambientais que sempre merecem debates apaixonados, a verdade é que a Santo Antonio está ajudando a mudar a estrutura de geração e abastecimento no país, levando daqui, do nosso rio Madeira, energia limpa para milhões de lares brasileiros.  Quando estiver funcionando com toda a sua força, além de tudo, a Santo Antonio terá feito um investimento total de 20 bilhões de reais. Certamente muito poucas obras  antes e nem outra nas próximas décadas, isoladamente, superarão tal volume de recursos, nesta Rondônia que cada vez se destaca no cenário econômico da região norte.

Quando o presidente da Santo Antonio, Eduardo de Melo Pinto, diz que as dificuldades enfrentadas foram imensas e o serão ainda durante longo tempo, não está exagerando. Mas, ao mesmo tempo, o empresário também pode se encher de orgulho, quando destaca que “estes três anos de geração da Hidrelétrica Santo Antônio contabilizam contribuições importantes para o país e, sobretudo, para Rondônia”, tanto em relação à  segurança energética, quanto à contribuição para gerar uma energia limpa e mais barata. Há sim muito a comemorar nos três anos da nossa grandiosa usina.

 

 

A VIDA DE VOLTA

Nove anos depois da Operação Dominó, uma das 30 pessoas que foram presas da época, o então presidente do Tribunal de Justiça do Estado, desembargador Sebastião Teixeira Chaves, quer sua vida de volta. Ele foi absolvido de todas as acusações e em todas as instâncias do Judiciário. Nenhuma das denúncias contra ele foram sequer aceitas, tanto que não foi pronunciado em qualquer tribunal. O episódio foi histórico, porque pela primeira vez no país um presidente de Tribunal foi preso em casa e saiu algemado para a prisão.

 

CENAS DE CINEMA

Teixeira Chaves foi aposentado compulsoriamente e sua vida funcional foi destruída, depois de anos de dedicação e reputação até então intocada. Agora ele quer de volta, com toda a razão, tudo o que perdeu. Não só o cancelamento da sua aposentadoria, como suas funções de desembargador e tudo o que teria direito, caso sua carreira tivesse tido um andamento normal. Ele ainda não falou se vai processar todos os envolvidos na sua prisão cinematográfica, que virou notícia nacional na época e o colocou como criminoso. Deveria fazê-lo!

 

CONFÚCIO E OS “AMIGOS”

 

O governador Confúcio Moura em seu Blog, essa semana, deixou claro que os aliados podem ser mais perigosos e danosos que os adversários. Escreveu: “Eu não tenho o que reclamar dos adversários!”. Acrescentou: “eles nunca me fazem pedidos indecentes e nem pedem cargos…” e, ainda, “se disserem que meu governo é ruim, estão no ofício deles”. Daí vem a cacetada: “Agora, meu irmão, o pior mesmo é o bendito fogo amigo!” Confúcio ainda critica duramente: “pra mim, este é o pior adversário, disfarçado de anjo da guarda”. O Governador não deu nomes, mas bem que podia começar a tirar, de perto de si, essa gente que está lhe fazendo mal. Não está na hora?

 

PARADA GERAL

Começa nesta quinta um longo feriadão. Já tem gente que parou desde terça. A maioria dos órgãos públicos decretou ponto facultativo um dia antes da Sexta-Feira Santa. Volta ao trabalho, agora, para milhares de rondonienses e milhões de brasileiros, só na segunda, dia 6. Neste mês, haverá ainda mais um feriadão: o 21 de abril cai num sábado, mas na sexta o turma que adora descanso abandonará o barco. Num país onde a economia se desenha ladeira abaixo, imaginava-se que se pudesse superar a crise com trabalho duro. Não vai acontecer, é claro!

ILHA EM GUAJARÁ

No mar de notícias ruins, uma ilha de melhorias para a comunidade de Guajará Mirim: a força tarefa da saúde pública, determinada pelo governador Confúcio Moura e sob o comando do dedicado secretário Williames Pimentel, prestou dezenas e dezenas de atendimentos naquela cidade, nos últimos dias. Foi um lenitivo para a comunidade que estava necessitando mais do que nunca da presença do Estado. Também houve melhorias no Hospital de Guajará. Ainda há muito o que fazer, mas esses primeiros passos na saúde mostram que a comunidade não está mais abandonada.

 

PERGUNTINHA

Não é o caso de mudar as leis e considerar corrupção perfeitamente normal, depois de ler a nota do PT nacional de que a culpa de tudo no país é das minorias da direita e da extrema direita?

Notícias Relacionadas