Compartilhe
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
18
nov
2020

Voos da Azul serão retomados em abril de 2021 em Vilhena, RO

A Azul Linhas Aéreas anunciou na sexta-feira (23) que vai voltar a operar em Vilhena (RO) em 15 de abril de 2021, um dia depois da conclusão das obras no aeroporto da cidade. As passagens já podem ser compradas a partir deste sábado (24) nos canais oficiais da companhia aérea.

Antes de voltar aos trabalhos aéreos, a empresa solicitou alterações no aeroporto da cidade para maior segurança.

Conforme a companhia, no local não há uma cerca ao redor da pista de pouso, fazendo com que haja risco de animais entrarem e ocorrer um acidente.

O risco de invasão de animais na pista do aeroporto chegou a ser alertado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), no início de junho, quando uma coruja ficou presa a um arame no lado do aeroporto.

O Departamento de Estradas e Rodagem (DER-RO) aceitou a solicitação e entrou com pedido ao governo do estado para fazer as alterações.

O coordenador de Infraestrutura Aeroportuária do DER, Eduardo Fernandes, explicou à Rede Amazônica que a empresa contratada para realizar as obras no aeroporto tem prazo de 180 dias para concluir as alterações.

Assim que retomar os voos, a Azul informou que planeja as operações com jatos da Embraer E195, com capacidade para 118 passageiros. A aeronave substitui as ATR 72-600, com 70 assentos.

A mudança, conforme a companhia, vai representar crescimento de 68% na oferta diária de assentos nos voos da rota a Cuiabá. A alta também reflete no aumento da demanda e melhoria da infraestrutura do aeroporto.

Suspensão dos voos

Os voos estão suspensos na cidade desde o início do semestre devido aos problemas aeroportuários. Em entrevista ao G1 em setembro, o diretor de relações institucionais da companhia, Marcelo Bento, disse que Vilhena tem a melhor situação porque os problemas eram menores.

Marcelo também citou, à época, que a companhia tinha bastante interesse em reativar seus voos no interior do estado devido ao agronegócio.

Fonte: G1

Notícias Relacionadas